domingo, 21 de dezembro de 2008

**LEIA ANTES DE VER O VÍDEO**

O vídeo anexo nos mostra golfinhos brincando com _anéis prateados de
ar_, os quais eles têem a habilidade de fazer debaixo d'água para brincar.

Não se sabe como eles aprenderam, ou se é uma capacidade inata dessa
espécie..!

Como por magia o golfinho faz um flip rápido com a cabeça e aparece um
anel prateado de ar à frente do seu 'bico'.
O anel de ar tem a forma sólida de uma bolha em formato de donut, mas
não sobe à superfície da água, ninguém sabe o porque!
_Permanece na água como uma porta mágica para uma dimensão invisível._


Depois o golfinho puxa anel prateado de ar pequeno do anel maior.


Olhando para o anel torcido uma última vez, é retirada uma parte,
fazendo com que o anel pequeno de ar colapse em milhares de pequenas
bolhas que vão para a superfície da água.
Após alguns momentos o golfinho cria outro anel de ar para brincar...

Parece haver também um mecanismo separado para fazer anéis pequenos de
ar, que o golfinho consegue fazer por meio de um pequeno flip com a cabeça.


Uma provável explicação de como eles fazem estes anéis prateados de ar é
que estes são vórtices.
Invisíveis vórtices giratórios são gerados a partir das costas do
golfinho quando ele se move rapidamente e em seguida se volta.
Quando os golfinhos partem a linha, as pontas são atraídas para um anel
fechado; o fluido de alta velocidade à volta do centro do vórtice está a
uma pressão mais baixa do que o fluido que circula mais distante.
É injetado ar nos anéis através das bolhas que são liberadas pelo
orifício por onde o golfinho expele o ar.
A energia do vórtice de água é suficiente para evitar que as bolhas
subam, durante os segundos que duram as brincadeiras.

Fiquem bem

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Woody Allen




Na minha próxima vida quero vivê-la de trás p'ra frente.
Começar morto para despachar logo esse assunto.
Depois acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa.
Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia.
Trabalhar por 40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo, e depois estar pronto para o secundário e para o primário, antes de virar criança e só brincar, sem responsabilidades.
Aí viro um bebê inocente até nascer.
Por fim, passo 9 meses flutuando num spa de luxo com aquecimento central, serviço de quarto a disposição e espaço maior dia a dia, e depois
- Voilà! –
Desapareço num orgasmo.

Fiquem bem

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

"o Teste do Filtro Triplo"


Na Grécia Antiga, Sócrates detinha uma elevada reputação e era muito estimado pelo seu conhecimento da natureza humana. Um dia, um conhecido do grande filósofo aproximou-se dele e disse:

- Sócrates, sabe o que eu acabei de ouvir acerca daquele teu amigo?

- Espera um minuto - interrompeu Sócrates.

- Antes que me digas mais alguma coisa, gostaria de te fazer um teste.

Chama-se "o Teste do Filtro Triplo"

- Filtro Triplo?

- Sim - continuou Sócrates, - Antes que me fales do meu amigo talvez fosse boa ideia parar um momento para filtrar aquilo que vais dizer fazendo passar essa informação por um teste a que chamei o Filtro Triplo." E continuou:

- O primeiro filtro é VERDADE. Tens a certeza absoluta de que aquilo que me vais dizer é absolutamente verdadeiro?

- Não - disse o homem - o que acontece é que eu ouvi dizer que...

- Então não sabes se é verdade - diz Sócrates

- Passemos ao segundo filtro, que é BONDADE. O que me vais dizer sobre o meu amigo é bom? - Não, muito pelo contrário...

- Então - continuou Sócrates - queres dizer-me algo negativo sobre ele e ainda por cima nem sabes se é ou não verdadeiro.

No entanto, pode ser que ainda passes o terceiro filtro. O último filtro é UTILIDADE. O que me vais dizer sobre o meu amigo será útil para mim, para ti, ou para ele?

- Não, acho que não...

- Bem - concluiu Sócrates
- se o que me dirás não é nem bom, nem útil e muito menos verdadeiro, para quê dizer-me?

domingo, 30 de novembro de 2008

Mulheres deste Reino


Era uma vez num reino muito distante (não dá muita credibilidade ao artigo, mas também não quero que acreditem em nada do que eu digo!) em que quem liderava era as mulheres, os homens eram o “sexo fraco”, um dia, numa reunião em que estavam presentes todas as mulheres desse reino e após longas horas de debate sobre os por quês dos homens serem inferiores as mulheres, foi provado pela comissão especializada em homens que os homens eram inferiores devido a terem o chacra cardíaco “fechado”, varias proposta surgiram na mesa, diversas vertentes se uniram em torno do problema, difícil, algo tinha que ser feito para equilibrar o reino, foi então que a rainha fabiana sugeriu que todas as mulheres do reino deveriam “fechar” o seu chacra laríngico até os homens desenvolverem o seu cardíaco, todas concordaram, mesmo sabendo os custos inerentes do enceramento desse chacra.

Bem, por volta de 1910, as mulheres voltaram a pouco a pouco, suavemente a reabrirem o seu chacra laríngico, mas nem tudo correu pelo melhor, o formato encontrado foi o masculino, isto é, as mulheres começaram a usar esse chacra no formato masculino e não no seu devido formato, só perto de 2000 é que realmente as coisas voltaram a entrar nos eixos a caminho do projecto previsto, "a mulher voltar a ser completa" as capacidades inatas femininas dirigem o mundo nas principais estruturas da psique humana, com a polaridade feminina completa e a alargamento da intuição cada vez mais sabem qual é o momento de seduzir, de copular, de gerar, de nutrir, de dar apoio, e de libertar e deixar partir, porem, ainda muitas não estão completas e seduzem quando deveriam alimentar e copulam quando deveriam dar apoio, e claro ainda a as que não conseguem libertar.

Fiquem bem

sábado, 29 de novembro de 2008

Meditação aquática


Algo que quis escrever a muito tempo e que por algum motivo nunca veio a tona, possivelmente também não será agora a altura mais certa (neste hemisfério), apenas não quero deixar mais uma vez para depois.

Pois, trata-se de algo que faço já a alguns anos, meditar flutuando no mar totalmente a deriva.
Possivelmente (para quem quiser fazer) recomendo que inicialmente tenha uma pessoa a vigiar mais para incutir tranquilidade do que salvar seja o que for, depois, ganhando experiência irão se aperceber que o mar não nós faz mal.

Pessoalmente já estive cerca de uma hora a meditar flutuando de olhos fechados e não me afastei mais de quarenta metros da costa, a sensação é fantástica, muitos de nós que habitualmente meditam sabem do fantástico que é entrar em comunhão com a terra, mas acreditem (melhor ainda, façam), entrar em comunhão com o oceano leva-nos a meditar a outro nível.

Obvio que de início pode existir algum receio que não deixe relaxar (por isso a importância do “vigia”) mas após duas ou três tentativas a nossa natureza entra em genuína comunhão.

Fiquem bem

sábado, 22 de novembro de 2008

Dormir


Quando dormimos não usamos mascaras, da mesma forma em que a dormir respiramos naturalmente (com a barriga) também o nosso rosto deixa transparecer como realmente somos, quem não acreditar, uma noite destas que medite observando o companheiro/a.
Possivelmente ninguém deveria viver com ninguém sem antes fazer essa observação.

Fiquem bem

sábado, 15 de novembro de 2008


Olá, respostas as perguntas que ainda não fizeste, mas querias fazer!


Tu sentes necessidade que as outras pessoas gostem de ti e te admirem, e ainda assim tendes a ser um ser crítico em relação a tua pessoa. Embora tenhas algumas fraquezas de personalidade, geralmente és capaz de compensá-las. Tu tens uma considerável capacidade não utilizada que ainda não usaste a teu favor. Disciplina com auto-controle por fora é o teu lema, por dentro, preocupa-te saberes que tens alguma insegurança íntima. Às vezes tem sérias dúvidas sobre se tomaste a decisão correcta ou fizeste a coisa certa. Preferes uma certa mudança e variedade, e ficas sem satisfação quando sentes restrições e/ou limitações. Também te orgulhas de pensar de forma independente, e não aceitas afirmações de outros sem provas satisfatórias. Mas descobriste que não é recomendável ser excessivamente natural ao te revelar para outras pessoas. Às vezes tens graça, és afável e amigável, e noutras és um ser introvertido, cauteloso e reservado. Algumas das tuas aspirações tendem a ser irrealistas.


Fiquem bem

Braços levantados


Bem, num formato prático, levanta os dois braços para o céu de maneira que fiquem esticados e o mais juntos das orelhas que seja possível, inclina as mãos abertas para trás o mais que conseguires de maneira que fiquem o mais perpendiculares possível em relação aos braços, fechas os olhos e pensa somente em (sol central, sol central), e fica assim até não mais poderes com o peso dos braços. Sentiras a energia a renovar-se em ti!

Fiquem bem

sábado, 8 de novembro de 2008

Tristeza


Paulo, com o rosto triste e cansado, encontrou-se com a sua amiga Carla num bar, para tomar um café.


Deprimido descarregou nela todas as suas preocupações...o trabalho...o dinheiro...a relação com a sua namorada...e a sua vocação...Parecia que tudo corria mal na sua vida. Carla meteu a mão na carteira e tirou uma nota de 50 EUROS e disse-lhe:- Queres esta nota?


Paulo ao início um pouco atrapalhado, respondeu-lhe:- Com certeza, Carla...são 50 EUROS, quem não os quer?


Então Carla pegou na nota numa das mãos, amarrotou-a, e fez dela uma pequena bolinha.Depois mostrando-a ao Paulo toda amachucada, perguntou-lhe de novo:- E agora, ainda a queres?-Carla, não percebo onde queres chegar com esta brincadeira, porém a nota continua a ser de 50 EUROS. Com certeza que a não vou deitar fora, se tu ma deres.


Carla alisou a nota, deitou-a ao chão, espezinhou-a e, por fim, pegou nela suja e amarrotada.- E agora, continuas a quere-la? - perguntou.- Escuta Carla, ainda não consegui perceber onde queres chegar, mas, embora ela esteja assim reduzida, continua a ser de 50 EUROS e, até que não a rasgues, conserva o seu valor...- Paulo, deves saber que se por vezes alguma coisa não sai como tu queres, também se a vida te prega uma partida, continuas a ser tão importante como antes... O que deves perguntar-te é quanto vales realmente e não quanto podes ser abatido num momento particular.


Paulo ficou como que paralisado a olhar para a Carla, sem dizer uma palavra, enquanto a mensagem entrava profundamente na sua cabeça.


Carla pousou a nota engelhada sobre a mesa, perto dele e, com um sorriso cúmplice disse:- Pega nela e guarda-a, para que te lembres sempre deste momento, quando te sentires mal... Porém deves dar-me uma nota nova de 50 EUROS para eu a poder usar com o próximo amigo que precisar.


Beijou-o na face e afastou-se em direcção à porta.Paulo voltou a olhar para a nota, sorriu, olhou-a e com uma energia nova, chamou o empregado para pagar a conta...”Quantas vezes duvidamos do nosso valor, do que realmente merecemos e do que somos capazes de alcançar se nos comprometemos? Certo que não chega prometer...Requer-se acção e, para isto existem muitas estradas a seguir.


Fonte: Universo de luz

sábado, 1 de novembro de 2008

O JULGAMENTO


Havia numa aldeia um velho muito pobre, mas até reis o invejavam, pois ele tinha um lindo cavalo branco...

Homens ricos e poderosos ofereciam quantias fabulosas pelo cavalo, mas o homem dizia:


- Este cavalo é como uma pessoa para mim. E como se pode vender uma pessoa, um amigo?


O homem era pobre, mas jamais vendeu o cavalo.

Numa manhã, descobriu que o cavalo não estava na cocheira.

A aldeia inteira se reuniu, e disseram:


- Seu velho estúpido! Sabíamos que um dia o cavalo seria roubado. Teria sido melhor vende-lo. Que desgraça!


O velho disse:


- Não cheguem a tanto. Simplesmente digam que o cavalo não está na cocheira.


Este é o fato, o resto é julgamento. Se é uma desgraça ou benção, não sei, porque este é apenas um julgamento. Quem pode saber o que vai se seguir?


As pessoas riram do velho.


Elas sempre souberam que ele era um pouco louco. Mas, quinze dias depois, de repente, numa noite, o cavalo voltou. Ele não havia sido roubado, mas havia fugido para a floresta. E mais, trouxe uma dúzia de cavalos selvagens consigo.


Novamente, as pessoas se reuniram e disseram:


- Velho, você estava certo. Não se trata de uma desgraça, na verdade provou ser uma benção.

O velho disse:


- Vocês estão se adiantando mais uma vez. Apenas digam que o cavalo esta de volta... quem sabe se é uma benção ou não?

Este é apenas um fragmento.


Você lê uma única palavra de uma sentença - como pode julgar todo o livro?


Desta vez, as pessoas não podiam dizer muito, mas interiormente sabiam que ele estava errado.


Doze lindos cavalos tinham vindo...O velho tinha um único filho, que começou a treinar os cavalos selvagens.

Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um cavalo e fraturou as pernas. As pessoas se reuniram e, mais uma vez, julgaram.


Elas disseram:


- Você tinha razão novamente. Foi uma desgraça. Seu único filho perdeu o uso das pernas, e na velhice ele é seu único amparo. Agora você esta mais pobre do que nunca.


O velho disse:


- Vocês estão obcecados por julgamento. Não se adiantem tanto. Digam apenas que meu filho fraturou as pernas. Ninguém sabe se isso é uma desgraça ou benção. A vida vem em fragmentos, mais que isso nunca é dado.


Aconteceu que, depois de algumas semanas, o país entrou em guerra, e todos os jovens da aldeia foram forçados a se alistar. Somente o filho do velho foi deixado para trás, pois recuperava-se das fraturas. A cidade inteira estava chorando, lamentando-se porque aquela era uma luta perdida e sabiam que a maior parte dos jovens jamais voltaria.


Elas vieram até o velho homem e disseram:


- Você tinha mesmo razão, velho - aquilo se revelou uma benção. Seu filho pode estar aleijado, mas ainda esta com você. Nossos filhos foram-se para sempre.


E o velho disse:


- Vocês continuam julgando. Ninguém sabe o porquê de todas as coisas! Digam apenas que seus filhos foram forçados a entrar para o Exercito e que meu filho não foi. Mas somente Deus sabe se isso é uma benção ou uma desgraça. Não julguem, porque dessa maneira jamais saberão a verdade completa.

Vocês ficarão obcecados com fragmentos, e pularão para as conclusões a partir de coisas pequenas. Quando você julga sem conhecer todos os fatos, deixa de crescer. Este tipo de julgamento significa um estado mental estagnado. Na verdade, a jornada nunca chega ao fim. Um caminho termina e outro começa: uma porta se fecha, outra se abre. Você atinge um pico, sempre existira um pico mais alto. Aqueles que não julgam estão satisfeitos simplesmente em viver o momento presente, e de crescer nele... somente estes são capazes de caminhar com Deus.
Fonte -http://prgilsonmedeiros.blogspot.com

domingo, 26 de outubro de 2008

As crianças adultas que nós somos


Será que alguém concorda comigo?

As crianças não querem “algo”, as crianças necessitam de “algo”, pode ser momentâneo ou não, todas elas querem ou gostariam num formato inconsciente de mudar os pais e acalentam uma falsa esperança que o podem fazer, algo que as irá acompanhar para o resto das suas vidas.
Não vejo outro motivo que não esse (lá por eu não ver nada quer dizer) para se ter relacionamentos adultos que basicamente e num formato inconsciente ajudam a recriar a nossa infância, isto numa vã tentativa de fazer o que não foi possível fazer em criança.

Eu sou um pai ausente, será que as minhas três filhas (ou alguma delas) irão “escolher” como companheiros pessoas com características como as minhas (continuo a falar do inconsciente), também na vã tentativa de me resgatarem?

Creio que até agora apenas se tem falado sobre a procura dum pai ou duma mãe quando num relacionalmente existe uma diferencia de idades relativamente grande, não creio que a questão da idade seja a principal, apenas torna mais visível algo que é muito maior, algo que a sociedade se recusa em aceitar, somos frutos da infância que tivemos, não digo isto num formato de desresponsabilização pelo que somos hoje mas sim no sentido de se remexer na nossa infância e retirar os nossos pais do altar, ver as situações de forma objectiva é importante, pessoalmente sempre senti que tive uma infância feliz, depois vendo melhor, não me consigo recordar de brincar com ao meus pais, não me recordo de carinho, recordo-me de ouvir que nunca me faltou nada, isto é comida, roupa e cama para dormir (claro que tive muitas mais coisas materiais), mas afecto não me recordo de ter, não estou de forma nenhuma a queixar-me, apenas a pensar sobre o assunto.
Isto leva a outra questão, não estarei a fazer o mesmo, estando distante para que não lhes falte nada materialmente não estarei condicionar o futuro delas? Faço por quando estou presente, estar mesmo presente, enfim, ignorância dá mais tranquilidade, prefiro estar consciente do que faço, mesmo quando isso me trás duvidas existenciais!

Fiquem bem

domingo, 19 de outubro de 2008

Tambem a ter em conta!



Michael Richards conhecido como Kramer da série televisiva Seinfeld, levantou um bom problema. O que se segue é o seu discurso de defesa em tribunal depois de ter feito alguns comentários raciais na sua peça de comédia. Ele levanta alguns pontos muito interessantes. So que a cultura que nos deu o Politicamente Correcto nao deixa que se fale no assunto preferindo censurar e ocultar pensamentos e opinoes que nao sao os permitidos.

Orgulho em ser Branco

Quantas pessoas estão actualmente a prestar atenção a isto?
Existem Afro-Americanos, Americanos Hispânicos, Americanos Asiáticos, Americanos Árabes, etc. E depois há os apenas Americanos ! Os brancos em geral.

Vocês passam por mim na rua e mostram arrogância.

Chamam-me 'White boy,' 'Cracker,' 'Honkey,' 'Whitey,' 'Caveman' ...e está tudo bem. Mas quando eu vos chamo Nigger, Kike, Towel head, Sand-nigger, Camel Jockey, Beaner, Gook, or Chink, vocês chamam-me racista.

Quando vocês dizem que os Brancos cometem muita violência contra vocês, então por que razão os "ghettos" são os sítios mais perigosos para se viver?

Vocês têm o United Negro College Fund.Vocês têm o Martin Luther King Day.Vocês têm Black History Month.Vocês têm o Cesar Chavez Day.Vocês têm o Yom Hashoah.Vocês têm o Ma'uled Al-Nabi.Vocês têm o NAACP.Vocês têm o BET [Black Entertainment Television] (tradução: Televisão de Entretenimento para pretos)
Se nós tivéssemos o WET [White Entertainment Television] seriamos racistas.Se nós tivéssemos o Dia do Orgulho Branco, vocês chamar-nos-iam racistas. Se tivéssemos o mês da História Branca, éramos logo taxados de racistas.Se tivéssemos alguma organização para ajudar apenas Brancos a andarem com a sua vida para frente, éramos logo racistas.Existem actualmente a Hispanic Chamber of Commerce, a Black Chamber of Commerce e nós apenas temos a Chamber of Commerce.

Quem paga por isto?

Uma mulher Branca não pode ser a Miss Black American, mas qualquer mulher de outra cor pode ser a Miss America. Se nós tivéssemos bolsas direccionadas apenas para estudantes Brancos, éramos logo chamados de racistas. Existem por todos os EUA cerca de 60 colégios para Negros. Se nós tivéssemos colégios para Brancos seria considerado um colégio racista.
Os pretos têm marchas pela sua raça e pelos seus direitos civis, como a Million Man March. Se nós fizéssemos uma marcha pela nossa Raça e pelos nossos direitos seriamos logo apelidados de racistas.

Vocês têm orgulho em ser pretos, castanhos, amarelos ou laranja, e não têm medo de o demonstrar publicamente. Mas se nós dissermos que temos "Orgulho Branco", vocês chamam-nos racistas.

Vocês roubam-nos, fazem-nos 'carjack', disparam sobre nós. Mas, quando um oficial da policia Branco dispara contra um preto de um 'gang' ou pára um traficante de droga preto ou hispanico que era um fora-da-lei e um perigo para a sociedade, vocês chamam-no racista.
Eu tenho orgulho. Mas vocês chamam-me racista. Por que razão só os Brancos podem ser chamados de racistas?

Michael Richards

domingo, 12 de outubro de 2008

Gritar!!!!!!!!!!!!!


Que tal usar a técnica do grito para romper “armaduras” e bloqueios, quem já usou sabe o quanto libertador pode ser, um grito vindo do mais “fundo” possível e a plenos pulmões, capaz de exprimir toda a dor, tristeza e raiva que se possa ter dentro de nós naquele momento, apenas um único grito!

O grito é uma forma de catarse que limpa o que existe de ruim em nós num determinado momento da nossa vida, apenas as crianças estão relativamente “autorizadas” a gritar, aos adultos é vedado, só se pode gritar em privado, num local ermo ou num local em que o ruído seja tal que possa abafar o nosso grito.

Fiquem bem (e gritem)

Os nossos filhos



Usualmente escrevo, escrevo quase sempre sobre o que me toca no momento, quase sempre escrevo para mim e simplesmente partilho com outros, quase sempre......quase sempre.O mundo anda as voltas com a questão do aborto, ambas as partes tem argumentos “sólidos” e alguns mais validos do que outros, enfim todos querem ter razão e querem-na impor a outros, claro que é “sempre” pelo bem dos “outros”, tenho desde a algum (muito tempo) dito que ninguém consegue educar os filhos, apenas nós pais estamos cá para gerir as crises!
Bem, gostaria de desenvolver este assunto, possivelmente o primeiro passo seria deixar de denominar os filhos por meu ou minha e sim dizer que sou pai ou mãe dele ou dela, o sentido de propriedade é algo que choca na maioria dos casos com amor, amor é dar, o “vais para casa mesmo por eu sou teu pai/mãe” também não ajuda em nada, ninguém deve respeitar seja quem for por essa pessoa ter um cargo, esse respeito deve ser conquistado e não imposto ou inato.
Também algo que digo a muito tempo é que nós pais fazemos muito mal aos nossos filhos por bem, obvio que tem a ver com sermos pessoas desequilibradas com uma arvore genealógica também ela desequilibrada, claro que tudo isto não é referente ao amor, mas sim a emoção, algo que transpõem totalmente as fronteiras da racionalidade, Osho disse que os filhos não deveriam ser criados pelos pais, até certo ponto todos nós até concordamos, isto é, qualquer um de nós em algum momento da vida teve a certeza peremptória em que se nos deixassem resolveríamos algo num filho doutro (mesmo sendo incapazes de resolver nos nossos), temos que possivelmente duma forma racional concordar com Osho, o amor paterno é quase sempre corrupto.
Com algum humor é dito (e muito bem) que as camisolas de gola alta servem para as mães vestirem aos filhos quando elas tem frio, claro que todos nós devemos ser o centro do universo, possivelmente respeitar as orbitas dos outros também será bem importante, pois é isso mesmo, falta de respeito, mas não é falta de respeito dos mais jovens para com os menos jovens, é precisamente o inverso, somos nós os “adultos” que não respeitamos os mais jovens, mas claro, adoramos repetir que agora não existe respeito e mais uma balelas que antigamente “coise e tal”, não somos nós pais que mentimos repetidamente aos nossos filhos, que lhes destruímos as expectativas que lhes colamos na véspera, que lhes prometemos (seja o que for) para os manipular no momento (portarem-se bem dentro dos nossos conceitos) para depois simplesmente esquecer, não somos nós que gostamos de os fazer passar por macaquinhos bem amestrados (vá dá um beijo a tia “que é aquela velha chata que tem pelos no queixo e cheira mal da boca”), que nos encantam quando se portam como pequenos adultos e deixam os pais orgulhosos com os elogios ocos dos outros, claro que lhes estão a destruir a criatividade, mas que importa isso, muitos de nós só entendem que algo está errado quando a situação se torna insustentável, pois aí voltam-se para a desresponsabilidade, a culpa será dos colegas, da sociedade, dos amigos, etccccc nunca é nossa, o véu da paternidade é realmente algo terrível.As crianças não lhes fica gravado os factos reais, o fica gravado é a sua interpretação, elas interpretam e registam até as nossas pequenas expressões corporais, quanto mais as palavras, duas pequena “estórias” reais; Uma apresentadora americana foi questionada pelo filho de 6 anos por que era que na TV era sempre tão simpática e em casa não, a que ela respondeu que era o trabalho dela e era paga para ser simpática, o filho saiu disparado e voltou com o mealheiro dizendo, mãe, eu também posso pagar!O outra, estava eu com a mãe das minhas filhas na sala conversando sobre algumas dificuldades financeiras quando a minha filha mais velhas (8 anos na altura) entrou a sala a chorar com 6 ou 7 mil escudos (tinha esvaziado o mealheiro) dizendo que nos dava aquele dinheiro e assim o problema ficava resolvido! Claro que o resto podem imaginar, é pessoal!Nós nem estávamos discutindo, até já tínhamos estado em situações bem piores, era apenas uma conversa entre dois adultos a tentarem gerir o orçamento familiar da forma mais atomizada possível, isto são os factos, a interpretação e o consequente registo da minha filha foi outro totalmente diferente.
Um ser quando nasce (inclusivo antes) é uma esponja em busca de informação para somar a alguma que já tem com ele, até sensivelmente a idade de sete anos temos como “educadores” algum crédito da parte deles (a escala, se alguém com três metros e meio de altura chegar junto a mim e me disser algo com um tom ameaçador, eu vou certamente me sentir ameaçado!), depois esse crédito é reiterado ou retirado, quantas vezes despejamos em cima deles frustrações com as quais eles nada tem, apenas por que estão ali a mão de semear, batemos neles e eles continuam a nos amar, apenas e simplesmente nalguns casos por que para eles quem bate também é a única fonte de amor que tem, embora corrompida, é a única, noutros por que nos amam mais que nós a eles.O contra-senso é que a maioria de nos adquire características “iguais” as que detestávamos nos nossos pais.
Dificilmente temos o bom senso de quando um criança está doente não a mimar em demasia, se a criança está doente, tudo lhe é permitido, dá-se-lhe muita atenção e claro é um convite a elas ficarem mesmo doentes em situações mais complicadas para elas, quem é que não sabe de uma criança que tinha febre e diarreia num determinado infantaria e que a situação ficou sanada com mudança para outro infantário, quantos médicos ou pais não cometeram já o “crime” de deixarem uma criança ouvir que não devia ser contrariada, são seres puros e a cada lustro nascem mais inteligente e intuitivas, detestam a mentira, obvio quando ela é praticada fluentemente pelos que a rodeiam assimilam-na no formato de comportamento adquirido, não temos tempo para brincar e rebolar com eles, nada que um presente da moda não resolva, eles pedem verdadeiramente tão pouco, e mesmo esse pouco lhe negamos, claro quando alguém me nega pouco eu começo a pedir muito, apenas assim conseguirei qualquer coisa, não era coisas materiais, mas…………….. Já agora, pode ser, melhor que nada!
Basicamente a educação que damos aos filhos será a grosso modo mais ou menos traumas, incutimos medos, claro que o medo é útil para a nossa preservação, mas não é necessário dizer para não por a cabeça fora da janela por um menino fez isso e veio um carro e ele ficou sem cabeça, também existe nos pais (homens) algo “inconfessável” o medo que os filhos se tornem gay, então a formula é fácil chamar a atenção de forma positiva e “marota” quando os filhos brincam com meninas e vigiar e reprovar quaisquer comportamento mais associado as meninas dentro dos seus entendimentos, em casos de menos conhecimento existe mesmo algum apelo a violência que é confundido com virilidade, claro se o filho se revela gay a culpa foi da mãe dado ele pai ter feito tudo ao seu alcanço, pois, sempre se arranja unas moedas para comprar um jornal desportivo, mas claro comprar uns livritos com informação mais profunda em que poderia ficar com o conhecimento que alguém pode ser heterossexual ou gay como pode ter olhos desta ou daquela cor, claro que saber quem é que o Benfica vai contratar é muito mais importante!
Não quero de forma nenhuma fazer passar uma imagem que somos péssimos pais, no fundo somos pais furto das crianças que nos deixaram ser, das coisa com que lidamos, dos traumas que temos carregado connosco, creio que estamos demasiado desatentos e tanto ou quanto egoístas, podemos melhorar, temos que melhorar, o pai ou a mãe perfeito será sem duvida uma utopia, mas creio que todos nós podemos passar a ser melhores pais, podemos ajudar a crescer um geração mais equilibrada do que a nossa e por ai fora, pode ser só uma gota melhor, como disse alguém que agora não me recordo disse algo mais ou menos assim, “o meu trabalho pode ser só uma gota no oceano, mas sem essa gota o oceano era uma gota mais baixo.”
Fiquem bem
João Gonçalves 09-07-2008
ICC- Enquanto os nosso filhos forem mais importantes que os filhos dos outros, estaremos simplesmente andando em círculos.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Jesus era peripatético...


Numa das empresas em que trabalhei, eu fazia parte de um grupo de treinadores voluntários. Éramos coordenados pelo chefe de treinamento, o professor Lima, e tínhamos até um lema: 'Para poder ensinar, antes é
preciso aprender' (copiado, se bem me recordo, de uma literatura do Senai).

Um dia, nos reunimos para discutir a melhor forma de ministrar um curso
para cerca de 200 funcionários. Estava claro que o método convencional --
botar todo mundo numa sala
-- não iria funcionar, já que o professor insistia
na necessidade da interação, impraticável com um público daquele tamanho.

Como sempre acontece nessas reuniões, a imaginação voou longe do
objetivo, até que, lá pelas tantas, uma colega propôs usarmos um trecho do
Sermão da Montanha como tema do evento. E o professor, que até ali estava
meio quieto, respondeu de primeira. Aliás, pensou alto:


-- Jesus era peripatético...


Seguiu-se uma constrangida troca de olhares, mas, antes que o hiato pudesse ser quebrado por alguém com coragem para retrucar a afronta, dona
Dirce, a secretária, interrompeu a reunião para dizer que o gerente de RH precisava falar urgentemente com o professor. E lá se foi ele, deixando a sala à vontade para conspirar.


- Não sei vocês, mas eu achei esse comentário de extremo mau gosto


-- disse a Laura.-- Eu nem diria de mau gosto, Laura. Eu diria ofensivo mesmo


-- emendou o
Jorge, para acrescentar que estava chocado, no que foi amparado por um silêncio geral.


-- Talvez o professor não queira misturar religião com treinamento


-- ponderou
o Sales, que era o mais ponderado de todos.


-- Mas eu até vejo uma razão paraisso...


-- Que é isso, Sales? Que razão?-- Bom, para mim, é óbvio que ele é ateu.


-- Não diga!-- Digo. Quer dizer, é um direito dele. Mas daí a desrespeitar a religiosidadealheia...


Cheios de fúria, malhamos o professor durante uns dez minutos e, quando já o estávamos sentenciando à fogueira eterna, ele retornou.


Mas nem percebeu a hostilidade. Já entrou falando:


-- Então, como ia dizendo, podíamos montar várias salas separadas e colocar
umas 20 pessoas em cada uma. É verdade que cada treinador teria de repetir a mesma apresentação várias vezes, mas... Por que vocês estão me olhando desse jeito?


-- Bom, falando em nome do grupo, professor, essa coisa aí de peripatético, veja bem...-- Certo! Foi daí que me veio a idéia. Jesus se locomovia para fazer pregações,como os filósofos também faziam, ao orientar seus discípulos. Mas Jesus foi oMestre dos Mestres, portanto a sugestão de usar o Sermão da Montanha foi muitofeliz.


Teríamos uma bela mensagem moral e o deslocamento físico... Mas que cara é essa?... Peripatético quer dizer 'o que ensina caminhando'.


E nós ali, encolhidos de vergonha.


Bastaria um de nós ter tido a humildade de confessar que desconhecia a palavra que o resto concordaria e tudo se resolveria com uma simples Ida ao dicionário.


Isto é, para poder ensinar, antes era preciso aprender. Finalmente, aprendemos. Duas coisas. A primeira é:

O fato de todos estarem de acordo não transforma o falso em verdadeiro.


E a segunda é que a sabedoria tende a provocar discórdia, mas a ignorância
é quase sempre unânime.


(Artigo escrito por Max Gehringer publicado na Revista VOCÊ SA.)

Litros de luz

domingo, 5 de outubro de 2008

Energia sexual (escrevi isto já fez um tempinho)


Falar sobre sexo e energia sexual pode a principio parecer relativamente fácil, tenho escrito diversas “coisas” em que abordo o assunto, mas penso que chegou o momento de escrever mais profundamente sobre o tema, não é nada de novo, já tenho falado de forma parcelada do assunto, está na hora de juntar tudo.Muito se fala do ADN e das fitas, possivelmente quando acedemos a ficar ignorantes foi-nos apenas deixado duas fitas de ADN com poucos dados e uma memória reduzida, mas a sexualidade foi deixada intacta como forma de reprodução.
Profundamente, dentro da sexualidade encontra-se uma frequência que nos pode levar a outros patamares e que tem sido mal direccionada, dá pelo nome de Orgasmo, esquecemos o orgasmo cósmico e as suas capacidades, isto apenas por que a sociedade não faz outra coisa que dizer que a sexualidade é algo ruim, isto à demasiados anos, ensinar que a sexualidade é algo ruim permite manter o controle sobre as massas é vedar o caminho para a liberdade através da sexualidade, o êxtase da sexualidade liga-nos novamente a fonte e a informação, a sexualidade adquiriu estatuto de “palavrão” e nós temos isso mesmo impresso na nossa memoria, há milhares de anos que temos isso na nossa memoria e por isso tem sido usado de forma imprópria.
Seria importante conseguir limpar a negatividade que envolve a sexualidade para conseguir saborear a energia sexual multidimensional, a sexualidade quando é partilhada entre duas pessoas raramente existe intenção de ligação espiritual, bem usada pode fazer de ponte e nos levar a patamares mais “elevados” de consciência, a monogamia é excelente para o nosso nível de vibração, sim é importante desde (ou a partir de) que se encontre a parceiro adequado, muitos parceiros no mesmo espaço temporal provoca uma vibração menos boa vinda da mentira, um parceiro de cada vez de forma honesta e leal em que tudo se pode compartilhar e ficar com ela enquanto for possível, se for a vida toda, excelente, se não, assim que não se puder mais comunicar e se sentir que o relacionamento não vai evoluir mais, nada melhor que terminar e procurar outra pessoa para se continuar o “trabalho”.
Se trabalharmos em par de forma íntima, desenvolvemos confiança, muitos de nós têm dificuldade de confiar em si mesmos e podemos aprender muito sobre a confiança em pares, num relacionalmente o formato do espelho está muito presente e a partir do ponto de vista do outro conseguimos “ver” em nós algo que nos estava auto-vedado, a comunicação fica intensa com a sexualidade e intimidade profunda, o problema é que só a usamos como simples distracção, usar a sexualidade com distracção é apenas uma forma de fugir da intimidade, quando começamos a receber a energia em vez de nos exploramos um ao outro intimamente e espiritualmente, vestimos as nossas mascaras e fazemos apenas a sexo genital/superficial, temos medo de entrar em comunhão espiritual com o parceiro, é obvio que uma relação sexual pode ser quente e deliciosa, mas (existe sempre um “mas”), ela pode ser muito e muito e muito e muito mais, apenas os preconceitos nós auto-limitam.
Reparem, o nosso passado sexual (aquilo que fizemos ou não) afecta toda a nossa vida presente, afecta o nosso eu superior e tudo que afecta o nosso eu superior afecta o nosso eu do aqui e agora, realmente “temos” que parar de julgar (eu disse isto!?) sim, parar de julgar mas é a nós próprios, ter uma atitude neutra em relação ao nosso passado (o que passou passou!), seja qual for e o que for, seja assassinato, seja violação, seja o que for, nós todos temos a capacidade de descobrir, apenas o medo nos cega.
As igrejas são organizações (Lda.) em que o objectivo é controlar a religião e o desenvolvimento espiritual, informação e religião apenas raramente cabem na mesma frase, uma religião que traga informação está na vibração da verdade, os planos espirituais são sítios de não acesso ao corpo físico, com a sexualidade podemos recuperar a memoria, não só com a sexualidade, ela é apenas uma das!
As igrejas meteram a sexualidade na prateleira exclusiva da procriação, foi-nos ensinado que era a única razão da existência da sexualidade e que para alem disso era uma coisa muito ruim, “informaram” às mulheres que era algo que tinham que se sujeitarem para servir os homens e que não dispunham de controle sobre os nascimentos, ainda hoje muitas acreditam!
Se a mulher tivesse percebido nestes últimos milénios que poderia determinar quando e quantos filhos, talvez tivesse podido explorar o seu EU sexual de forma mais cósmica e ser livre, a vibração tem origem no amor entre um par (um par são dois que podem ser ou não do mesmo sexo) de seres humanos dando prazer um ao outro e abrindo novas consciências através dos chakras três e quatro (emocional e compassivo) que fazem ligação ao EU superior e iniciar a caminhada para o “ficar consciente” e assim alterar a frequência vibratória, nos somos electromagnéticos e quando nos unimos intimamente pela vibração do amor imensas “coisas” podem acontecer.
Queremos evoluir, mas, não queremos passar pelo chakra dos sentimentos, tudo está ligado as emoções e ficamos logo atascados nas primeiras, muitos de nós gostariam de deitar algumas emoções fora dado pensarem que assim ficam mais perto, mas as nossas emoções não são lixo, são sim a nossa riqueza, temos que lidar com as “coisas” que temos conflitos, a sexualidade está quase sempre em numero um, é algo que escondemos e que a sociedade esconde de nos, podemos fazer isso mas isto não, quem é que disse? De onde vem?
O importante é amar a nós próprios primeiro que tudo, se estamos obcecados pelo amor não conseguimos compreender o que se passa, estamos a procura de amor fora de nós, procurando uma pessoa que faça a nossa vida ter significado, o não ter essa pessoa nós faz sentir irritados, inúteis, este é o padrão social em que vivemos, algo que os pais sempre nos ensinaram, se não conseguimos ter par, é bom aprender a ficar sozinho, nós nunca estamos verdadeiramente sós, a solidão é apenas um estado mental, se parássemos um pouco de sentirmos pena de nós próprios descobriríamos um manancial de avultada informação que nos é constantemente enviada e aí, possivelmente desejaríamos estar sozinhos muito mais tempo.
Na frequência sexual actual e quando não se está em sintonia energética vibracional existe uma troca em que um recebe energia do outro e o outro apenas recebe “lixo” por que não se está a fazer a troca com intimidade, por vezes afastamo-nos dessas trocas com imensas desculpas para o parceiro e com perguntas/duvidas para nós – será que estou a ficar velho/a? – Que se passa? – Etc.
Não é nada disso, num formato é simplesmente não querer receber mais “lixo”, noutros é simplesmente já ter passado mais um pequeno degrau e saber usar essa energia sem ter que a dar, em vez de “loucura” e valido usar a arte da masturbação ou então usar a completação e deixar a energia fluir pelo corpo todo para ser usada em outras áreas, muitos de nós tentam ter respostas pelo caminho errado, pouco se conseguirá fazendo as mesmas perguntas a toda a gente, isso é procurar fora de nós, procurando dentro de nós é que encontramos respostas, pois, mas na maioria dos casos não as conseguimos ouvir, o barulho ensurdecedor dos nossos preconceitos e medos impede-nos de saltar para o desconhecido.
As vibrações energéticas transmitidas entre um par com amor (pode ser amor de segundos ou de anos), intimidade e respeito mutuo em que a troca energética é equitativa permite as energias fluírem livremente com elevada corrente eléctrica, somos capazes de suportar frequências altíssimas, e aí, o orgasmo cura e realinha o corpo físico, e ainda com a experiência e o passar do tempo conseguimos atingir estados em que finalmente simplesmente ficamos a saber, a entender, a compreender e recordaremos finalmente algo que sabemos que sabemos!
Fiquem bem
Devo estás linhas a todos os que conheço/escrevi/falei/pensei/vi e também aos que ainda não conheço/falei/pensei/vi
ICC – Claro que tenho Ego, apenas o tento ter de forma saudável!

Circulo de ódio




1 - O director de uma empresa gritou com o seu gerente porque estava irritadíssimo.
2 - O gerente, chegando em casa, gritou com a esposa, acusando-a de gastar demais.
3 - A esposa, nervosa, gritou com a empregada, que acabou deixando um prato cair no chão.
4 - A empregada deu um pontapé no cão porque tropeçou nele enquanto limpava os cacos.
5 - O cão saiu correndo da casa e mordeu numa mulher que passava pela rua.
6 - Essa mulher foi ao poste de saúde para fazer um curativo e levar uma vacina. Ela gritou com o enfermeiro porque a vacina doeu ao ser aplicada.
7 - O enfermeiro, ao chegar em casa, gritou com a esposa porque o jantar não lhe agradava.
8- A esposa afagou os cabelos dele e beijou-o, dizendo: Querido! Prometo que amanhã vou fazer o teu prato favorito, trabalhas muito, está cansado e precisa de uma boa noite de sono, amanhã vais te sentir melhor, Retirou-se e deixou-o sozinho com seus pensamentos.
9 - Neste momento rompeu-se o Círculo do Ódio! Esbarrou na tolerância, na doçura, no perdão e no amor. Se estamos no Círculo do ódio, é bom lembramos que ele pode ser quebrado.
Não devemos mudar a nossa natureza, se alguém nos faz algum mal, apenas devemos tomar alguns cuidados, alguns de nos perseguem a felicidade (um carro, um emprego, um relacionamento), outros simplesmente a criam.
Preocuparmo-nos mais com nossa consciência do que com nossa reputação é vital, a consciência é o que realmente somos, a reputação é o que os outros pensam que somos, e o que os outros pensam, é problema deles.

Fiquem bem

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

PENSE POSITIVO...SEMPRE SEMPRE POSITIVO !!!




Timo: a chave da energia vital No meio do peito, bem atrás do osso onde a gente toca quando diz "eu", fica uma pequena glândula chamada timo.

Seu nome em grego, thýmos, significa energia vital. Precisa dizer mais? Precisa, porque o timo continua sendo um ilustre desconhecido. Ele cresce quando estamos contentes, encolhe pela metade quando estressamos e mais ainda quando adoecemos.

Essa característica iludiu durante muito tempo a medicina, que só conhecia através de autópsias e sempre o encontrava encolhidinho. Supunha-se que atrofiava e parava de trabalhar na adolescência, tanto que durante décadas os médicos americanos bombardeavam timos adultos perfeitamente saudáveis com megadoses de raios X achando que seu "tamanho anormal" poderiam causar problemas.

Mais tarde a ciência demonstrou que, mesmo encolhendo após a infância, continua totalmente ativo; é um dos pilares do sistema imunológico, junto com as glândulas adrenais e a espinha dorsal, e está diretamente ligado aos sentidos, à consciência e à linguagem.

Como uma central telefônica por onde passam todas as ligações, faz conexões para fóra e para dentro.Se somos invadidos por micróbios ou toxinas, reage produzindo células de defesa na mesma hora.Mas também é muito sensível a imagens, cores, luzes, cheiros, sabores, gestos, toques, sons, palavras, pensamentos. Amor e ódio o afetam profundamente. Idéias negativas têm mais poder sobre ele do que vírus ou bactérias. Já que não existem em forma concreta, o timo fica tentando reagir e enfraquece, abrindo brechas para sintomas de baixa imunidade, como herpes. Em compensação, idéias positivas conseguem dele uma ativação geral em todos os poderes, lembrando a fé que remove montanhas.






O teste do pensamentoUm teste simples pode demonstrar essa conexão. Feche os dedos polegar e indicador na posição de o.k , aperte com força e peça para alguém tentar abrí-los enquanto você pensa " estou feliz". Depois repita pensando " estou infeliz".

A maioria das pessoas conserva a força nos dedos com a idéia feliz e enfraquece quando pensa infeliz. (Substitua os pensamentos por uma bela sopa de legumes ou um lindo sorvete de chocolate para ver o que acontece...) Esse mesmo teste serve para lidar com situações bem mais complexas.

Por exemplo, quando o médico precisa de um diagnóstico diferencial, seu paciente tem sintomas no fígado que tanto podem significar câncer quanto abcessos causados por amebas. Usando lâminas com amostras, ou mesmo representações gráficas de uma e outra hipótese, testa a força muscular do paciente quando em contato com elas e chega ao resultado.

As reações são consideradas respostas do timo e o método, que tem sido demonstrado em congressos científicos ao redor do mundo, já é ensinado na Universidade de São Paulo (USP) a médicos acupunturistas.

O detalhe curioso é que o timo fica encostadinho no coração, que acaba ganhando todos os créditos em relação a sentimentos, emoções, decisões, jeito de falar, jeito de escutar, estado de espírito... "Fiquei de coração apertadinho"-, por exemplo, revela uma situação real do timo, que só por reflexo envolve o coração.

O próprio chacra cardíaco, fonte energética de união e compaixão, tem mais a ver com o timo do que com o coração- e é nesse chacra que, segundo os ensinamentos budistas, se dá a passagem do estágio animal para o estágio humano. "Lindo!", você pode estar pensando, "mas e daí?".

Daí que, se você quiser, pode exercitar o timo para aumentar sua produção de bem estar e felicidade. Como? Pela manhã, ao levantar, ou à noite, antes de dormir. a)..

Fique de pé, os joelhos levemente dobrados. A distância entre os pés deve ser a mesma dos ombros. Ponha o peso do corpo sobre os dedos e não sobre o calcanhar, e mantenha toda a musculatura bem relaxada. b)..

Feche qualquer uma das mãos e comece a dar pancadinhas contínuas com os nós dos dedos no centro do peito, marcando o rítimo assim: uma forte e duas fracas. Continue entre três e cinco minutos, respirando calmamente, enquanto observa a vibração produzida em toda a região torácica.






O exercício estará atraindo sangue e energia para o timo, fazendo-o crescer em vitalidade e beneficiando também pulmões, coração, brônquios e garganta. Ou seja, enchendo o peito de algo que já era seu e só estava esperando um olhar de reconhecimento para se transformar em coragem, calma, nutrição emocional, abraço.






Ótimo, ìntimo, Cheio de estímulo.



Bendito Timo.

Da jornalista e pesquisadora Sonia Hirsch

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Uma Lição Extraterrestre (trecho)


Certo dia, uma nave espacial, oriunda de uma Galáxia muito distante, onde vivia uma raça bastante evoluída, chegou à Terra. Estava em missão de pesquisa e expansão das suas relações com os habitantes de outros mundos.Penetrando na atmosfera da Terra, os cientistas da nave logo perceberam, pelo alto grau de poluição, que era um mundo bastante primário.


Por precaução, acionaram um dispositivo de segurança que os tornaria invisíveis e intangíveis. Assim, poderiam observar melhor o temperamento do ser humano no seu dia-a-dia, sem serem endeusados ou atacados por ninguém.Durante anos, eles pesquisaram a vida no planeta em todos seus aspectos.


Desde o comportamento do ser humano até a qualidade dos elementos da natureza, bem como a relação entre ambos. O resultado dessas pesquisas revelou que os terráqueos eram primitivos e não dominavam suas emoções.


Além disso, a falta de consciência ecológica da humanidade estava destruindo o ecossistema do planeta.O comandante da expedição espacial, após avaliar os dados da pesquisa, resolveu então mudar seu programa de ação.


A sua missão inicial era apenas pesquisar e estabelecer relações amistosas com os terráqueos, porém isso não seria possível, pois seu povo era pacífico e os terráqueos eram muito violentos.


Após muito pensar, o capitão extraterrestre resolveu aplicar uma tática psicológica, antes de abandonar a Terra, a fim de dar uma lição espiritual nos terráqueos.


Usando seus instrumentos avançados, comunicou-se através de uma freqüência secreta de rádio com os governos dos principais países do planeta, convocando-os para uma reunião secreta na sede da ONU (Organização das Nações Unidas).No dia e na hora marcados, eles se materializaram no centro da sala de convenções.


Presentes à reunião estavam os governos dos países convocados, os grandes líderes políticos, os cientistas, os militares, os religiosos e os ufólogos.


Todos estavam muito nervosos, pois seria a primeira vez que uma raça extraterrestre se comunicaria com os terráqueos.


Alguns nem acreditavam que aqueles seres extraterrestres fossem reais. Outros tremiam de medo.


Outros ainda, choravam de emoção, pois aquele contato já era esperado havia muito tempo.A aparência dos extraterrestres chocou alguns, já que era muito diferente da dos seres humanos.


Tinham pequena estatura (cerca de um metro de altura). Eram magros e delicados. Estavam vestidos com um tipo de roupa espacial futurística. Suas cabeças eram grandes e não tinham cabelos.


A pele era acinzentada-clara, parecendo meio enrugada e porosa. Tinham as faces largas e o rosto um pouco ovalado.


A boca era apenas um ligeiro traço e o nariz bem pequeno. Os olhos eram grandes e negros, oblíquos, ligeiramente amendoados para cima.


Emitiam um olhar profundo, magnético, que exprimia um ar de serenidade e doçura.Todos esperavam que eles se comunicassem no idioma inglês, que era a língua normalmente usada nas reuniões da ONU, porém, quando o comandante extraterrestre iniciou sua mensagem, seus pequenos lábios não se moviam.


Ele usava a telepatia, que é uma linguagem universal e dispensa idiomas convencionais.


Todos entendiam perfeitamente sua "voz mental", calma e pausada, ecoando dentro de suas mentes.Eis, na íntegra, o diálogo (mental por parte dos extraterrestres e vocal por parte dos terrestres), que se travou naquele dia memorável:


- Povo da Terra! Nós os saudamos com muito amor, em nome da F.G.S. (Federação das Galáxias Superunidas).


Não sei como me dirigir direito a vocês. Não sei se é melhor chamá-los de "Senhores da Terra" ou de "homo sapiens"!


Digam-me, como deve ser chamado o ser humano?


Um dos cientistas se levantou imediatamente e respondeu com toda pompa e vaidade:


- Nós não somos mais homo sapiens; somos agora "homo sapientíssimus". Dominamos a energia nuclear, nossos veículos são cada vez mais velozes, nossos prédios cada vez mais modernos, nossos computadores cada vez mais sofisticados e, a cada dia, novas invenções são criadas.


Dito isso, sentou-se o cientista com um largo sorriso de satisfação e orgulho, como se houvesse dado uma lição no comandante extraterrestre.


Logo após, um militar levantou-se e também falou:


- Além de "sapientíssimus", também somos "poderosíssimus". A cada dia criamos novas armas sofisticadíssimas. Temos, em nossos arsenais, bombas e armas para todas as finalidades. Desde guerras químicas a guerras nucleares. Mesmo nosso armamento convencional, como revólveres, metralhadoras, granadas e tanques é bastante desenvolvido.


Dito isso, sentou-se o militar com um largo sorriso arrogante, como se houvesse intimidado o comandante extraterrestre.


Logo após, levantou-se um político e pediu a palavra:


- Além de "sapientíssimus" e "poderosíssimus", também somos "carismáticus". Dominamos muito bem o uso da palavra, o magnetismo pessoal e em nossas mãos está o destino dos povos.


Dito isso, sentou-se o político com um largo sorriso de falsa modéstia, como se houvesse convencido o comandante extraterrestre.


A seguir, levantou-se um religioso e também pediu a palavra:


- Além de "sapientíssimus", "poderosíssimus" e "carismáticus", também somos "religiosus". Acreditamos em Deus e sabemos que ele protege o nosso povo. Já sabemos que existe um céu e um inferno, para premiar ou castigar as consciências além da morte. Somos tão crentes em Deus que, se for preciso, até brigamos por essa crença. Como vê, além de tudo, somos muito determinados em relação àquilo que acreditamos. E lhe digo mais, não sei se no seu planeta existe alguma religião, mas aqui na Terra quem manda é o Nosso Senhor Jesus Cristo. Só ele é o caminho, a verdade e a vida, e ninguém vai ao Pai se não for por ele! Se vocês quiserem, poderemos enviar alguns missionários para convertê-los à boa nova do evangelho. Se acreditarem nas verdades sagradas da bíblia, alcançarão o reino dos céus!


Dito isso, sentou-se o religioso com um largo sorriso moralista e hipócrita, como se houvesse convertido o comandante extraterrestre.


A essa altura, a bancada oriental, amante de Buda e de Krishna, bem como a bancada muçulmana, amante de Zoroastro e Maomé, já se encontrava em pé de guerra, protestando em altos brados contra o radical discurso cristão.


Antes que a reunião virasse uma guerra santa, o comandante extraterrestre emitiu um raio pela sua mão direita que paralisou imediatamente os religiosos brigões.


Impressionados com o poderio do visitante, todos prometeram se acalmar e respeitar democraticamente o ponto de vista diferente dos outros.


Por último, levantou-se um místico e gritou fortemente:


- Meus mestres extraterrestres! Não liguem para o que esses idiotas estão dizendo! Nós, os místicos, os esotéricos, os espiritualistas e os ufólogos, sabemos que vocês vieram para nos salvar. Há muito estamos esperando sua chegada. Estamos vivendo a Nova Era e nos encontramos às portas do terceiro milênio. Sabemos das catástrofes que irão sacudir o planeta, neste final de século. Portanto, estamos esperando suas orientações quanto à evacuação e o resgate dos eleitos espirituais da Terra. E esses eleitos não podem ser os materialistas, mas nós os ufólogos, místicos, esotéricos e espiritualistas que sempre acreditamos em vocês!


Dito isso, sentou-se o místico com um largo sorriso de fanatismo.


A essa altura, o comandante extraterrestre já estava arrependidíssimo de haver comparecido àquela reunião.


Se aquelas pobres criaturas eram incapazes de ter um relacionamento maduro entre elas mesmas, como poderiam estabelecer uma relação madura e produtiva com seus vizinhos cósmicos?Disposto a dar uma lição memorável naquelas pessoas tão tacanhas, o comandante espacial voltou a se comunicar por telepatia e expressou o seguinte:


Leia o final da história em


http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=Sections&file=index&req=viewarticle&artid=15&page=1

domingo, 21 de setembro de 2008

Religião Católica estudada por Ets


Uma cultura extraterrestre esteve a estudar e chegou a seguintes definições:

Em tempos remotos, um homem nasceu duma virgem sem intervenção dum pai biológico.

Esse homem sem pai bradou a um amigo (morto e já a cheirar mal) e Lázaro ressuscitou de imediato.

Quarenta dias depois, o homem sem pai subiu ao cume dum monte e o seu corpo desapareceu nos céus.

Se murmuramos pensamentos na intimidade da nossa cabeça, o homem sem pai e o próprio “pai” (que também é ele próprio) ouvirá os nossos pensamentos e poderá agir em conformidade (os pensamentos de todas as pessoas do mundo)

Se fizermos algo mal ou bem, esse homem sem pai vê tudo (ainda que ninguém o veja), podemos então ser castigados ou recompensados, que pode ser em vida ou depois de mortos.

A virgem mãe do homem sem pai, não chegou a morrer, por via da “assunção” foi para o céu com o corpo físico.

Mais, seria fastidioso e extenso, fica por aqui

Depois de isto veio uma questão:

Qual o motivo então dos crentes em temerem a morte, por que quando um medico diz a alguém crente que só tem mais seis meses de vida essa pessoa não fica feliz, não dá pulos de alegria, por que é que os crentes não se comportavam como o abade de Ampleforth, que quando o cardeal Basil Hume lhe disse que estava a morrer, o abade mostrou-se felicíssimo por ele “Parabéns! Que bela noticia, quem me dera ir com vossa iminência” Pois, possivelmente o abade era um crente!

Fiquem bem

sábado, 20 de setembro de 2008

Apenas uma reflexão.


Tudo no corpo do ser humano serve para algo, tudo, isto é, para que serve o hímen na mulher?

Bem, também existe o caso do umbigo, pois, esse pode ser considerado uma cicatriz acumuladora de cotão! (falo por mim)

Fiquem bem

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Os Dez Compromissos, uma versão um pouco diferente!


Adaptação de algum material do Tobias

“Falar sobre Moisés. O Moisés Sagrado. Recentemente um grupo perguntou sobre Moisés e os Dez Mandamentos

Assim, falando dessa pessoa querida, Moisés é maravilhoso para resolver problemas do povo, se eram escravos, se eram pobres, ele era excelente nisso. Entrar em grupos dos mais necessitados e carregar seus problemas.

Ele não era um bom líder, realmente. Carregou coisa demais em seus ombros. Aborrecia-se muito com as coisas. Moisés tinha um péssimo humor! Mas também foi um mártir por seu próprio mérito... Bem, para resumir! Assim, Moisés, aproximadamente em 1300 AC, há muito, muito tempo, Moisés subiu ao topo da montanha – Monte Sinai – e encontrou a sarça-ardente. Bem, ele pensou que fez isso. Foi um tipo de ilusão, mas foi sua própria raiva e sua própria frustração com seu povo e consigo mesmo, com sua liderança. Ele sentiu “Que tipo de líder é esse que passa 40 anos vagando pelo deserto? Que tipo de líder é esse que não consegue dar respostas ao seu povo? Que tipo de líder sou eu?”, pensava ele, subindo a montanha. Mas realmente muito aborrecido com seu grupo. Achava que eles eram uns incapazes. Sentia que se eles eram uns incapazes que seguiam um líder ineficiente.

Assim, ele subiu ao topo da montanha e encontrou a sarça-ardente, que, na verdade, era um símbolo da sua própria ira e frustração. E também era um símbolo de transformação porque ele e seu povo estavam achando que tinha realmente chegado a hora – precisou chegar – de algumas mudanças. Assim, nesse inspirado momento de consciência Moisés ouviu a voz de Deus, mas que, na verdade, era sua própria voz. Ele estava ouvindo o seu interior, isto bem no topo da montanha com sarça-ardente. Atribuiu isso a Deus, claro, porque não sabia a quem mais atribuir.
Mas neste momento inspirador, ele recebeu os Dez Compromissos do Espírito, os compromissos do que o Espírito – seu espírito – Dez compromissos que o seu – o que se chamam de Eu Superior, eu divino, tem com vocês todo dia. Moisés recebeu esses compromissos. Obviamente que ele não os escreveu nas tábuas naquela hora. Seria muito peso para carregar montanha abaixo. Mas ele desceu a montanha depois dessa experiência incrivelmente transformadora e sagrada, pleno do que chama de luz, pleno de nova consciência, louco para reunir seu povo e contar-lhes sobre os Dez Compromissos do Espírito ou de Deus. Para compartilhar com eles o desejo de Deus de co-criar, de compartilhar com eles o fato de o Espírito já estar lá e de ser eles.
Mas, conforme descia a montanha, de volta para a vila, ele viu pessoas lutando entre si. Viu mercadores ludibriando fregueses. Viu pessoas roubando comida e coisas umas das outras. Viu pessoas praguejando umas às outras. Viu um casal fazendo amor no fundo de um beco, embora não fossem casados. Já entenderam, não? E ele disse, “Querido Deus, como posso compartilhar esses Compromissos que você deu com esses humanos decrépitos que ainda estão me seguindo? Como posso dar-lhes esses Compromissos, pois eles os profanarão? Farão até pior. Querido Deus, temos que conversar de novo”.

Deu meia-volta e subiu a montanha novamente – desta vez sem sarça-ardente – sentindo-se muito zangado e aborrecido com seu povo, disse, “ Eles não precisam saber dos compromissos do Espírito, eles precisam de mandamentos. Precisam de regras, precisam de leis”. Jogou fora a inspiração que recebera. Desceu a montanha novamente, encontrou uma pessoa para gravar isso, sentou-se diante deles enquanto gravavam seus pensamentos e, realmente, originalmente, veio com os doze mandamentos.

Ao longo do tempo esses mandamentos sofreram mudanças, revisões e traduções chegando ao que nós conhecemos como os Dez Mandamentos e durante uns 3.300 anos eles têm sido a base da consciência da sociedade, por que boa parte do mundo actual segue esse tipo de religião ou filosofia. Portanto, isso está bem entranhado na consciência, e é desejo de falar sobre os Dez Compromissos do Espírito.

Mandamento número um: Sou o seu Senhor Deus. Não terás outros deuses diante de mim.

O Compromisso é muito simples – você também é Deus. Vocês são Deus também. Vocês são.


Não existe nenhum pai no céu ou algo assim. Vocês são o criador. Vocês são Deus também. É simples, e esse é o compromisso, o compromisso que o Espírito já está aqui e já está dentro de vocês.

Agora o segundo mandamento: Não adorarás falsos ídolos.

O Compromisso é que vocês realmente têm todos os instrumentos dentro de vocês. Não precisam procurar por elas em nenhum lugar – todos os instrumentos. Vocês não precisam adorar cristais nem precisam esculpir estátuas de Deus. Podem admirar as belezas das coisas da Terra, mas vocês já têm todos os instrumentos dentro de vocês. Não procurem fora, porque eles já estão dentro.

Mandamento número três: Não tomar o santo nome de Deus em vão.

Compromisso é ame-se e respeite-se. Ame-se. Não se sinta culpado por amar quem você é. Foi colocado na consciência que é errado amar-se. Então os humanos tendem a se amaldiçoar. Trata-se de se amar sem julgamento, aberta e livremente.

Mandamento número quatro: Guardar o sábado.

Dediquem um tempo a si próprios. Dediquem um tempo à respiração, ao reequilíbrio. Há tanta demanda de tempo e energia que vocês são puxados para todas as direcções. À noite, vocês caem na cama exaustos, mas não conseguem dormir porque se preocupam com tudo e todos. Dediquem um tempo a si mesmos.

Próximo mandamento: Honrar pai em mãe.

Se o Espírito realmente conhecesse seu pai e sua mãe, nunca teria escrito esse mandamento, trata-se de honrar o masculino e o feminino. Honrar o filho e os pais. Honrar todas as suas partes, todos os seus aspectos, permitindo-lhes voltar para casa, para vocês neste momento do Agora, na sua realidade. Honrar tudo o que se refere a vocês mesmos.

Próximo mandamento: Não matar.

Bem, esse é muito óbvio – desfrute a vida. Goze a vida. É simples assim, gozar a vida. Temos muitas regras criadas por pessoas como Moisés. O que podemos e o que não podemos fazer, assim achamos que é pecado gozar a vida e esse conceito tem sido perpetuado por praticamente tudo e todos. Mas que maior alegria do que realmente gozar a vida?
Apreciar a comida que comemos, assim ela não se transformará em gordura no nosso corpo. Ela se processará naturalmente livrando-se do que não precisa. Tenhamos prazer tirar um tempo livre, mesmo que seja para ler um livro, assistir televisão. Aproveitemos a vida do momento que acordamos até o momento em que vamos dormir e também durante os sonhos. Gozar a vida.

Agora, o próximo mandamento: Não roubar.

Todos temos toda a energia no nosso interior. Não precisamos tomar de ninguém e não precisamos dar a ninguém. Há muito tempo, as pessoas roubam nossa energia e nós roubamos a delas. Chegamos a um ponto de soberania em percebemos que a energia está dentro de nós. Temos toda a energia no nosso interior.

Próximo... Este é interessante: Não cometer adultério.

Alguns de nós podem se sentir muito culpados quando se disse isso! Libertem-se disso. Essa é uma energia cármica difícil se ligarem a ela.
Este mandamento se refere, na verdade, novamente, a amar a si próprio. Refere-se a ser verdadeiro consigo mesmo, com o que nós somos. Não precisamos de procurar a resposta em nenhum outro lugar, refere-se a ser verdadeiro consigo mesmo. Não precisamos mentir sobre a nossa vida. Refere-se a aceitar todas as suas partes. Refere-se mais uma vez, a amar-se.

Próximo mandamento: Não levantar falso testemunho contra teu vizinho.

Refere-se mais uma vez a confiar em si próprio. Confiar em tudo o que se refere a nós. Que coisa maravilhosa confiar em quem nós somos. Confiar muito em quem nós somos, uma vez mais, nós não precisamos mentir, não precisamos enganar, não precisamos roubar.
Somos o que somos. Somos capazes de criar nova consciência.

Agora o último mandamento: Não cobiçar os bens do próximo.

E o último sobre não cobiçar os bens do próximo, refere-se a olhar novamente para a nossa vida neste exacto momento. Não precisamos invejar ninguém. Não precisamos desejar que tivéssemos feito de outra maneira. Refere-se a respeitar e honrar a si próprios pela maneira que escolhemos agir no passado. Refere-se a pegar o que nós consideramos um erro que cometeremos na vida e entrar nessa energia e perceber isso como uma experiência apenas. Foi uma escolha feita por cada um que nos trouxe a este lugar. Não foi nada que fosse um erro, na verdade, foi algo que trouxe experiências maiores para o espírito da sua vida.”

Fiquem bem

João Gonçalves

Adaptação de material do Tobias

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Açores





Pois, até gostaria de escrever algo sobre esta minha segunda casa (à 11 meses), São Miguel, Açores, mas dizer o quê, falar da vibração neutra em que cada um pode ser o que quiser, falar de não encontrar mães a gritarem com os filhos no centro comercial, é melhor não, quem quiser (e puder) que venha cá ver/sentir e retirar as suas próprias conclusões, também tenho fotografias tiradas por mim, algumas até poderei dizer dignas de um profissional, mas estas são as que possivelmente mais me tocam, uma arvore (uma das muitas espectaculares que por aqui vibram), uma flor (que nem sei o nome mas que para mim se chama Atram), um pescador (que enquanto eu me tinha divertido no ilhéu de Vila Franca trabalhava pela vida), a Rita na caldeira velha (nem imaginem o fantástico que é) o momento é mais intenso e menos visual.

Fiquem bem


ICC- Talvez para mim, o que mais se assemelha ao paraíso dos cristãos!

domingo, 14 de setembro de 2008

Quando todos............o sol brilha

Nem sempre, mas um bom inicio pode ser bem melhor para existir um meio rico!


Nada melhor como iniciar com uma piada que conto a alguns anitos

Dois jovens casam, vão em lua-de-mel, regressam à denominada vida do dia a dia!

Sabes querida, eu já a muitos anos que sou vogal lá na filarmónica, as segundas a noite tenho reunião!

Sem problemas querido!

Pois, é que as terças a noite eu os colegas de trabalho costumamos ir jantar fora!

Sem problemas querido

Pois, é que as quartas a noite também tenho que sair dado ter que ir passear o cão da minha mãe!

Sem problemas querido

Pois, as quintas……………….. sem problemas querido, apenas um pequeno detalho, cá em casa todos os dias vai haver sexo por volta das 22 horas, quer tu estejas, quer não!!!!!!!!!!!!!!!

Pois, pode parecer uma piada, mas se quisermos analisar apenas a história, a jovem não terá sido sujeitada a muitos maus tratos quando criança, nem terá desenvolvido muitas falsas esperanças que a teriam direccionado para ser uma pessoa com baixa estima, não reagiu de forma infantil (que seria disparatar ou não reagir), reagiu duma forma adulta madura e equilibrada, soube logo de inicio estabelecer limites com o parceiro.

Creio que o mundo necessita de mais mulheres assim!

Fiquem bem