sábado, 29 de novembro de 2008

Meditação aquática


Algo que quis escrever a muito tempo e que por algum motivo nunca veio a tona, possivelmente também não será agora a altura mais certa (neste hemisfério), apenas não quero deixar mais uma vez para depois.

Pois, trata-se de algo que faço já a alguns anos, meditar flutuando no mar totalmente a deriva.
Possivelmente (para quem quiser fazer) recomendo que inicialmente tenha uma pessoa a vigiar mais para incutir tranquilidade do que salvar seja o que for, depois, ganhando experiência irão se aperceber que o mar não nós faz mal.

Pessoalmente já estive cerca de uma hora a meditar flutuando de olhos fechados e não me afastei mais de quarenta metros da costa, a sensação é fantástica, muitos de nós que habitualmente meditam sabem do fantástico que é entrar em comunhão com a terra, mas acreditem (melhor ainda, façam), entrar em comunhão com o oceano leva-nos a meditar a outro nível.

Obvio que de início pode existir algum receio que não deixe relaxar (por isso a importância do “vigia”) mas após duas ou três tentativas a nossa natureza entra em genuína comunhão.

Fiquem bem

7 comentários:

A Senhora disse...

Eu adorava fazer isso!
Hoje, fujo do mar e do sol. Sou mais terra.
Acho que já estou começando a fincar raizes... ;)

Carteiro disse...

Olá
Pois, nem tudo serve para todos, por exemplo os sons/odores do mar para mim são maravilhosos, para alguém que teve algum dissabor mais complicado com o mar pode gerar tensão.

Terra também é fantástica, apenas devemos deixar crescer raízes elásticas ou retracteis

Fica bem

A Senhora disse...

Sim, isso é verdade. Eu perdi um irmão querido no mar. Mas, foi fatalidade, pois estava na beira da praia. Ou seja, poderia ser em terra firme, que ele iria de qualquer forma.

Agora, minhas raízes são bem elásticas... :) Por conta da profissão de meu marido mudamos muito de cidade. E eu, como adoro viajar, conhecer lugares diferentes, amava. Só que os meninos precisavam de uma certa estabilidade quando começaram a "estudar de verdade". Hoje paramos em São Paulo, mas é só ter uma folga maior e já viajamos. E se precisar mudar novamente... Já estou com as malas nas costas. :)

beijinhos

iara disse...

adoro fazer isso...na piscina!
Brasília não tem mar!
mas amo caminhar sozinha na beiar do mar, na areia da praia, ou cantando baixinho ou pensando com meus botões

Carteiro disse...

Um dia se puderes e quiseres tenta no mar!

Depois conta como foi.

Fica bem

Anónimo disse...

tambem ja tive o prazer de experimentar nao a considerei meditacao mais uma concentracao de calma, depois ouvir akela tranformacao de caos as ondas a bater, para a sensacao de cosmo a calma p silencio, depois passado um tempo fui apanhado por uma agua viva, ai foi se a meditacao a concentracao lol, gostei mt do blog mt reflecao mt ficar a pensar
obrigado sr joao quer dixer joao tens um fa assiduo agora

pedro Rodrigues

Carteiro disse...

Olá Pedro, meditação e concentração são formatos opostos, a concentração requer esforço, a meditação apenas a vontade genuina!

Fica bem