sábado, 8 de novembro de 2008

Tristeza


Paulo, com o rosto triste e cansado, encontrou-se com a sua amiga Carla num bar, para tomar um café.


Deprimido descarregou nela todas as suas preocupações...o trabalho...o dinheiro...a relação com a sua namorada...e a sua vocação...Parecia que tudo corria mal na sua vida. Carla meteu a mão na carteira e tirou uma nota de 50 EUROS e disse-lhe:- Queres esta nota?


Paulo ao início um pouco atrapalhado, respondeu-lhe:- Com certeza, Carla...são 50 EUROS, quem não os quer?


Então Carla pegou na nota numa das mãos, amarrotou-a, e fez dela uma pequena bolinha.Depois mostrando-a ao Paulo toda amachucada, perguntou-lhe de novo:- E agora, ainda a queres?-Carla, não percebo onde queres chegar com esta brincadeira, porém a nota continua a ser de 50 EUROS. Com certeza que a não vou deitar fora, se tu ma deres.


Carla alisou a nota, deitou-a ao chão, espezinhou-a e, por fim, pegou nela suja e amarrotada.- E agora, continuas a quere-la? - perguntou.- Escuta Carla, ainda não consegui perceber onde queres chegar, mas, embora ela esteja assim reduzida, continua a ser de 50 EUROS e, até que não a rasgues, conserva o seu valor...- Paulo, deves saber que se por vezes alguma coisa não sai como tu queres, também se a vida te prega uma partida, continuas a ser tão importante como antes... O que deves perguntar-te é quanto vales realmente e não quanto podes ser abatido num momento particular.


Paulo ficou como que paralisado a olhar para a Carla, sem dizer uma palavra, enquanto a mensagem entrava profundamente na sua cabeça.


Carla pousou a nota engelhada sobre a mesa, perto dele e, com um sorriso cúmplice disse:- Pega nela e guarda-a, para que te lembres sempre deste momento, quando te sentires mal... Porém deves dar-me uma nota nova de 50 EUROS para eu a poder usar com o próximo amigo que precisar.


Beijou-o na face e afastou-se em direcção à porta.Paulo voltou a olhar para a nota, sorriu, olhou-a e com uma energia nova, chamou o empregado para pagar a conta...”Quantas vezes duvidamos do nosso valor, do que realmente merecemos e do que somos capazes de alcançar se nos comprometemos? Certo que não chega prometer...Requer-se acção e, para isto existem muitas estradas a seguir.


Fonte: Universo de luz

9 comentários:

linda disse...

É verdade, quantas vezes nos deixamos abater pelas situações que nos sucedem e achamos que elas são o reflexo do nosso valor, e não serão mesmo? O que realmente deveremos aprender e apreender quando "tudo corre mal"?

Abraços

Carteiro disse...

Olá, bem, eu aprendo mais com o que faço “errado” do com o que faço “bem”, existem diversas formas de aprendizado, e nesse aprendizado conhecer os opostos é bem importante, não podemos só somar e multiplicar, temos também que subtrair e dividir para se poder caminhar até a matemática.

Bem, quando baixamos a nossa vibração (seja por que motivo for), tudo se torna mais complicado, adoecemos mais facilmente, a tristeza instala-se e por vezes não vê a porta de saída (muitas vezes por que não quer ver), também por vezes, apenas com um estalar de dedos se cria uma pequena faísca que permite ver a tal porta e simplesmente saímos!

Fiquem bem

Anónimo disse...

Pois é… pois é… ás vezes esquecemo-nos do n/valor (seja porque motivo for…), perdemos o respeito por nós, os outros deixam de nos respeitar também e podemos chegar a um poço muito fundo que achamos que não há volta a dar.
Mas há!! É só querermos.
Claro que é muito bom aparecerem-nos algumas “Carlas” pelo caminho, que nos abrem os olhos, nem que as verdades nos doam e nos façam chorar, mas é sempre por uma boa causa ;)

Uma amiga

Carteiro disse...

Olá
Pois, “Carlas” aparecem muitas, o que demasiadas vezes acontece e que não se está predisposto a ouvir e interiorizar, somos demasiado intransigentes connosco e demasiado premiáveis com os outros, temos muito medo de olhar dentro de nós, vemos coisas das quais temos vergonha e então preferimos simplesmente não olhar.

"Não acredite no que você ouviu;
Não acredite em tradições porque elas existem há muitas gerações;
Não acredite em algo porque é dito por muitos;
Não acredite meramente em afirmações escritas de sábios antigos;
Não acredite em conjecturas;
Não acredite em algo como verdade por força do hábito;
Não acredite meramente na autoridade de seus mestres e anciãos.

Somente após a observação e análise, e quando for de acordo com a razão e condutivo para o bem e benefício de todos, somente então aceite e viva para isso."

Siddhartha Gautama, o Buda, há 2.600 anos atrás:

Ou se preferir Jesus, no Evangelho de Judas Tomé (O gêmeo) temos:
"Se seus líderes vos dizem: Vejam, o Reino está no céu, então saibam que os pássaros do céu os precederão, pois já vivem no céu.
Se lhes disserem: Está no mar, então o peixe os precederá pelo mesmo motivo.
Antes, descubram que o Reino está dentro de vocês, e também fora de vocês.
Apenas quando vocês se conhecerem, poderão ser conhecidos, e então compreenderão que todos vocês são filhos do Pai vivo.
Mas se vocês não conhecerem a si mesmos, então vocês vivem na pobreza e são a pobreza."

Ou ainda, se você for ateu, reconheça pelo menos a sabedoria Grega nas palavras escritas no pórtico do templo de Apolo, em Delfos:
Conhece a ti mesmo e conhecerás o universo (Gnothi Seauto)

Fiquem bem

A Senhora disse...

Agora, ter alguém que nos diga isso no momento certo é coisa difícil. Escutarmos e estarmos abertos a isso, mais difícil ainda. Sempre queremos um tapinha nas costas ou um colo - somos vítimas. Mas o que precisamos, mesmo, é de uma "Carla". E de coragem para enfrentar o que vem pela frente.

Obrigada pela visita ao meu blog.

Beijinhos.

Carteiro disse...

Olá

Pois, a questão do timing é uns dos factores mais importantes, falar pouco com argumentos correctos é sólidos tem mais relevância em muitos casos do que prateleiras cheias de livros de auto-ajuda.

Fica bem e obrigada eu

iara disse...

a minha adora quase irmã SENHORA que me indicou seu blog, e hj vc foi minha Carla. muito obrigada pelo lindo post!
chorei
li os outros, adorei o das mulheres, em melhores condições comentarei depois.
bjs
iara

Carteiro disse...

Olá Iara

Lágrimas são apenas sentimentos que ultrapassam o emocional e se manifestam no físico (bolas, que cientifico eehehee)
Recomecemos!
Lágrimas são sentimentos que transvazam da alma, lágrimas que podem e devem transformar em gotas de esperança!

Fica bem

Anónimo disse...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!