quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

OS “VELHOS” DESTE MUNDO!!!!


À definição de velho nada tem a ver com o que está escrito nos documentos oficiais, tem a ver com o espírito e mente e não com a idade do corpo.

Os velhos deste mundo não param de desejar a destruição do mesmo, acumulam bens materiais dando azo ao seu egoísmo, são cruéis com as futuras gerações, tiram o que querem e nada ligam a quais queres direitos.
São uma “tribo” que aproveitam da nossa indolência (do sempre foi assim e nada se pode fazer!) para se alimentarem destruindo tudo e todos.

A maneira de se dizer as coisas é tão ou mais importante como o que se diz, a elegância e a doçura faz com que uma verdade atinja níveis elevadíssimos, porem também pode fazer parecer uma mentira algo de verdadeiro.

O individualismo deixa-nos a mercê dos velhos, enquanto não dermos todos o “braço a torcer” e não trabalharmos duma forma mais cooperativista continuaremos a atrasar projectos e a criar novos e mais problemas.

Fiquem bem

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

SERMÕES!!!


Pois, possivelmente deveriam, mas não creio que funcionem, o mais famoso sermão (o da montanha “feito por Jesus”) não funcionou, teoricamente sabemos e concordamos, porem na prática ficamos é na maioria dos casos pela teoria mesmo!

Os sermões simplesmente não funcionam dado que embora a nossa “alma” influencie os outros, também somos influenciados pelas “almas” dos outros, os seus (e nossos) estados de ânimo, pode até não ser fácil de entender, mas acontece mais vezes que se pensa, isto por que maioritariamente a maioria dos sermões são hipócritas.

Porem, se focarmos a nossa mente com o nosso corpo, sem esperar ajuda de ninguém os assuntos ficam mais claros e simples, importante termos em conta que da mesma forma que vamos mudando, algumas partes de nós deixam também de existir, simplesmente deixam de fazer sentido existirem.

Sendo assim (se o é) na próxima vez que alguém quiser “dar” um sermão a alguém, é melhor pensar 10 vezes se as nossas acções não serão melhor que mil palavras!

Fiquem bem

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

ESCOLHAS!!!!!!


Por vezes, projectos ficam bem difíceis de se concretizar, dá quase a sensação que devemos desistir, possivelmente terá mesmo chegado a hora de os mudar, claro que pode até parecer força de carácter querer fazer prevalecer a força de vontade e derrubar todos os obstáculos que vão surgindo pelo caminho, porem, se algo se mostra com demasiados obstáculos, possivelmente está na hora de redireccionar ou mudar esses projectos.
Claro que podemos querer ter "tudo", mas dentro do "tudo" existem pessoas, pessoas que não são coisas para movimentarmos ao nosso belo prazer, para se ter “tudo” será imprescindível mudar de atitude.
Demasiadas vezes fazemos escolhas baseadas no calor da discussão, obvio que essas escolhas dificilmente serão as melhores, terão sempre os seus alicerces baseados em algo menos puro, podem até trazer algum prazer momentâneo, porem a médio prazo trarão mais e mais problemas.
Os conselhos nem sempre se baseiam da experiência ou sabedoria, demasiadas vezes não passam de opiniões aparentemente validas.

Fiquem bem

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

SER!!!


Já fez alguns anos que digo e faço por fazer: um desconhecido é um amigo que ainda não conheço?
Aparentemente vejo a sociedade (todos nós) a não tratar com a bondade merecida os seus semelhantes, a sensação que estamos a transmitir a geração vindoura é que é errado confiar ou tratar amorosamente os outros, o amor que achamos que merecemos é proporcional ao que estamos dispostos a dar, claro que nunca é tarde para aprender algo de novo nem para aplicar na pratica o que se sabe.

A andar para a frente raramente é linear, é feito de avanços e recuos, algumas aparentes derrotas, porem, nunca existem percas, obvio que algumas coisas não deveriam ter sido feitas, algumas palavras nunca deveriam ter sido ditas, enfim, com boa vontade quase tudo se consegue reparar.

Fiquem bem

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

FUTURO/ COINCIDÊNCIAS


Nós adultos não nos empenhamos o suficiente na educação das nossas crianças, não lhes damos a bondade e compreensão que elas merecem, deveríamos dedicar todo o tempo necessário a essa tarefa.

Como continuamos a cometer esse erro (já a algumas gerações) dificilmente existirá um futuro melhor para a nossa civilização, claro que existem milhares de boas pessoas que se esforçam diariamente para deixarem um mundo melhor para as futuras gerações e melhores gerações para o mundo.


Algumas coincidências não são meras casualidades, são obra do tempo que calcula matematicamente os encontros e desencontros através de complexas equações que estão muito além da nossa capacidade de entender.

Continuar a arrumar tudo dentro de nós não é perca de tempo, é sim algo que nós levará a objectivos “diferentes”, algo em preparação para quando for tempo de “crescer”.

Colocar o bem comum acima de todas as coisas e procurar orientar os nossos passos a volta dessa questão, com o tempo, iremos nos aperceber que muitos dos problemas desaparecem e que a harmonia e a paz interior passa a reinar a maior parte do tempo.

Fiquem bem

sábado, 12 de dezembro de 2009

BIA


Chove e chove, creio que hoje apenas a chuva será uma constante, estou irrequieto, o hábito de trabalhar se segunda a sábado está bem enraizado, ficar em casa é “estranho”.

Enfio uma par de calças, T-shirt e um blusão e saio para um café matinal (totalmente despenteado! Hehehehe), a chuva caia suavemente, os meus pensamentos voam em câmara lenta, tudo está lento, já no café recordo-me que ainda não efectuei de forma efectiva a entrada no campo astral duma conhecida (esposa dum amigo e colega meu) para ajudar a encaminha-la, ela suicidou-se nesta ultima segunda-feira, já tinha feito uma tentativa de entrada na terça-feira, porem, não foi produtivo, demasiado tempo para a encontrar, depois ela ainda não estava preparada, estava enrolada envolta em pensamentos repetitivos (acabou, acabou, acabou) que não deixavam possibilidade de nada entrar.

Ontem a namorada sentiu a presença dela connosco no carro, o que quer dizer que ela já não está “congelada”, creio que hoje já será possível que ela siga.

Fiquem bem

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Noite Feliz (Dª Iara)


Para ter um período de sono nocturno tranquilo e reparador, podemos tentar implementar as seguintes situações:

1. Jantar cedo e comer pouco nesta refeição (para gerar pouca urina durante o sono, e ter o estômago vazio durante esse período).

2. Tomar um banho morno antes de ir para cama (para limpar os poros da pele, permitindo que ela respire mais livremente).

3. Certifique-se que possa haver renovação de ar no seu quarto de dormir, durante o seu período de repouso (para que as toxinas exaladas de nosso corpo sejam substituídas por ar puro; ar é o nosso principal alimento, não podemos passar cinco minutos sem ele).

4. Desligue todas as pequenas luzes que ficam acesas em seu quarto de dormir (luz de stand-by do televisor, mostradores de rádio-relógios, luz da rua que entra pela janela, etc.), para obter uma escuridão total no quarto (com isso maximizamos a formação de melanina pelo nosso corpo durante o sono).

5. Não use qualquer roupa (nu é ideal) que tenha elástico que vá apertar seu corpo durante o sono (desta forma não haverá bloqueios na circulação do sangue e da linfa durante esse período).

6. Logo antes de ir para a cama, esvazie completamente sua bexiga de toda urina, para diminuir a probabilidade de ter que levantar durante a noite para urinar. As pessoas, às vezes por preguiça, não levantam à noite para urinar, apesar de sentir vontade de fazer isso; isso não é adequado para sua saúde; devemos sempre atender o nosso corpo, assim que ele pedir.

7. Um breve período de meditação, logo antes de dormir, também contribui para acalmar nossa mente e para propiciar um descanso mais completo durante a noite. Portanto, evite ver televisão logo antes de dormir; nem faça exercícios físicos logo antes de ir para a cama.

8. Também é bom focarmo-nos em coisas monótonas e repetitivas, a nossa respiração é um bom exemplo

Bom sono!

ICC – Se tudo isto falhar, recomendo sexo, muito sexo (seja em que formato!) hehheehe não resisti (eu sei, eu não presto hehehehe)

Fiquem bem

domingo, 6 de dezembro de 2009

Relaxamento


Pois bem, vamos então falar do assunto

• Depois de bem dominada a respiração (tanto pulmonar como chakral), estará mais que na hora de iniciar na meditação de uma forma mais profunda, porem, antes, exercícios de visualizações guiados são deveras importantes (possivelmente imprescindíveis para a maioria da nós!)

• Mas (sempre existe um “mas”), como estamos relativamente ao relaxadamente muscular, bem, que consegue estar a vontade com a respiração chakral também deve estar a vontade com o relaxamento muscular, mas por via das dúvidas vou dar umas dicas.

• Embora seja uma “fórmula” bem antiga, funciona muito bem e é extremamente fácil, nada melhor para descontrair que não seja o oposto, isto é o contrair. Vou explicar como habitualmente faço, de qualquer forma, servir para mim não faz que seja forçoso servir para todos, quem tiver outra forma e que se sinta “em casa” nela que simplesmente a use.

Usualmente início de baixo para cima, não sei bem o motivo, apenas me sinto confortável assim!

Ok, iniciando, já com as respirações feitas, respirando com a “barriga” e de olhos fechado, numa posição confortável (não demasiada, pode levar a pessoa a dormir!)

Contrair os pés vigorosamente durante 3/4 segundos e soltar
Repetir mas suavemente durante 3/4 segundos e soltar

Contrair os músculos (barriga das pernas) vigorosamente durante 3/4 segundos e soltar
Repetir mas suavemente durante 3/4 segundos e soltar

Contrair as coxas vigorosamente durante 3/4 segundos e soltar
Repetir mas suavemente durante 3/4 segundos e soltar

Contrair a zona pélvica vigorosamente durante 3/4 segundos e soltar
Repetir mas suavemente durante 3/4 segundos e soltar

Contrair os abdominais vigorosamente durante 3/4 segundos e soltar
Repetir mas suavemente durante 3/4 segundos e soltar

Contrair os músculos dos braços e cerrar os punhos vigorosamente durante 3/4 segundos e soltar
Repetir mas suavemente durante 3/4 segundos e soltar

Os ombros, movimentar os ombros de uma forma suave e lenta durante o tempo que cada um sentir necessário, também a cabeça deve ser movimentada, para um lado, para o outro, rodar, “dizer” que não, “dizer” que sim, movimentar no sentido de ir aproximando ora de um ombro, ora do outro

Toda a face, contrair vigorosamente a face durante 3/4 segundos e soltar
Repetir mas suavemente durante 3/4 e soltar

A testa, muito importante descontrair a testa, muita tensão é acumulada na testa, contrair vigorosamente a testa durante 3/4 segundos e soltar
Repetir mas suavemente

Quando se sente que alguma parte do nosso corpo ainda não está descontraída, “vamos” lá e contraímos e descontraímos!

Este exercício de relaxamento serve para quase todos os outros exercícios meditativos!

Fiquem bem

domingo, 29 de novembro de 2009

É MENTIRA!!!!!!


Todos nós vivemos em mentira, até falamos umas verdades, porem, basicamente vivemos em mentira.
Demasiadas vezes falar verdade não passa de uma maneira de esconder as mentiras da vida, navegamos na mentira como os melhores marinheiros, mentir será como respirar, na maior parte das vezes nem de tal nos apercebemos, num formato inconsciente nem nos apercebemos desses jogos, é algo que se colou a sociedade.

Agora se queremos fazer alguma coisa para mudar esse hábito temos que ficar mais alerta, muito mais atentos, basta parar de imediato quando começamos a mentir, possivelmente nos primeiros tempos iremos descobrir que mentimos o dia todo.

Obvio que mentimos por uma ou outra razão, possivelmente até conseguimos fundamentar as razão de tal, porem, se atentos ficarmos, veremos que a maioria das mentiras não são por razão nenhuma, apenas e simplesmente mentimos, tornou-se apenas uma forma de ser, uma forma de estar, uma forma de viver.

Alguém chego e eu sorrio, demasiadas vezes o sorriso é mentira, estamos apenas a ser “educados”, na mesma forma de quando se diz algo a alguém apenas por “educação” (um bom dia, um vai correr tudo bem, etc.) é um mentira que lentamente vai crescendo e que se torna um hábito pessoal e social, ser “educado” tornou-se principalmente na arte de mentir!

Tento cada vez mentir menos, principalmente a mim mesmo, depois aos outros, no inicio, a energia gasta em contraria a mentira é desgastante, depois vem um tranquilidade, uma paz, um serenidade, porem, é MENTIRA, não acredites em mim, acredita em ti!

Fiquem bem

domingo, 22 de novembro de 2009

FAZER



O universo dispões de todas as oportunidades, é algo que se faz a quatro mãos, apenas temos que as agarrar (as oportunidades) e fazer algo de produtivo com elas, o maior “inimigo” será a nossa “preguiça” que segrega ao nosso ouvido que deitar um niquinho e deixar para amanhã é bem melhor.

Claro que não conseguimos fazer nem por perto o que a nossa imaginação propõe, mas que seria a vida sem isso mesmo, não é mesmo a sensação que nos falta algo que faz o mundo girar!

Todos os dias chegam novas ideias, claro que os velhos hábitos se opõem firmemente, que tal alimentar o que se deseja e fazer algo para os realizar!

Se a vida nos dá aparentemente limões bem azedos, que tal em vez de reclamar, fazer uma deliciosa limonada!

Fiquem bem

domingo, 1 de novembro de 2009

Antoine De Saint – Exupéry e o seu Principezinho!


Apenas e simplesmente o meu entendimento sobre o texto!



16.ª Edição da Editora Caravela Lda.



Grandiosa conversa do autor com a sua criança interior, sim, para mim é exactamente disso que o livro fala.







Pg 10 – “………… e dedicar-me antes à geografia, à história, à matemática e à gramática. Foi assim que, aos seis anos, me vi …….”



É a velha sempre actual “estória” da castração que a sociedade nos impõe, ainda hoje muito se utiliza essa forma de manipulação no formato sério de boas intenções, é errado mas quem o faz é com boas intenções, por isso, quase sempre sorrio quando me afirmam que o importante é a intenção!

Quando dizemos aos nossos filhos que têm de estudar dado que eles é que irão escolher se querem ser a Doutora Maria ou a tarefeira Maria, ao nossos pais em nada estão preocupados com a nossa felicidade, estão sim preocupados com a nossa segurança, sim, apenas e simplesmente por que já esqueceram o que é o amor, o que é a felicidade e simplesmente sentem a necessidade de nos forçar a ter segurança.



Pg 11 – “……Queria apurar se ela era mesmo capaz de perceber alguma coisa. Mas invariavelmente ……” “ …. tive uma avaria em pleno deserto….”



Sempre a eterna busca de quem vibra na mesma frequência, sempre a incessante procura das nossas “almas gémeas” e deserto tem o sentido de solidão, o deserto interior da nossa vida.



Pg 11 - (repetido dado aqui ser a parte mais “importante”) “Na primeira noite, deitei-me em cima da areia e adormeci……”



Para mim, é aqui, nesta noite que chegou o pacote de informação e o contacto com a criança interior, é nesta noite que tudo se passa, acontece com a entrega, com o abrir do coração. Como aparece? Aparece no formato de clique, assim “Por favor…. Desenha-me uma ovelha!”



Pg 14 – “isto é a caixa. A ovelha que tu queres está lá dentro.”



É a redescoberta da imaginação pura, algo que sempre ao longo da nossa educação foi sendo reprimido, é o ver com o coração!



Pg 22/23/24 – “E, com efeito ……. (até) …… com três arbustos…””



Tem a ver com a nossa limpeza interior, como um pequeno pensamento/ideia se pode tornar um conceito, depois um preconceito e depois uma obsessão se o/a deixarmos crescer, o discernimento da nossa balança interior tem que estar sempre afinado para realmente descortinar o que é importante e o que não o é!



Pg 27/28 – “ para que servem os espinhos? ………. “



Os espinhos são as nossas armaduras, as nossas mascarás, nelas nos sentimos protegidos, mas é apenas ilusório, não deixa que os outros nos vejam como realmente somos.



Pg 30 – “Amar uma flor …. (até) …. É tão misterioso, o país das lágrimas!”



Para mim, à melhor prosa, à mais simples e grandiosa que li sobre o amor incondicional!



Pg 30/31/32/33/34 – (todo o capitulo 8)



Uma excelente parábola sobre a aparente superficialidade, sobre o endeusar outros seres que obviamente têm capacidades mas não todas as capacidades, que são perfeitos em alguns aspectos mas não em todos!



Pg 34 – “….. passou a manhã a arranjar o planeta …….. “nunca se sabe” ….. uma data de aborrecimentos.”



É o trabalho diário que temos que fazer em nós, passamos imenso tempo a cuidar do nosso exterior e pouco tempo a cuidar do nosso interior.



Pg 36 – “A deus – disse a flor ….. vê lá se consegues ser feliz ….”



Realmente a nossa falta de frontalidade tem contornos dramáticos, a necessidade manipulativa que temos para forçar os outros a tomar darem o primeiro passo é terrível, isto, apenas por medo da rejeição.



Pg 36 – “Duas ou três lagartas terei que suportar se quiser saber como são as borboletas.”



É mesmo assim, sem escuridão que sentido teria a luz, sem tristeza que valor se daria à alegria, sem medo que como poderíamos ficar saciados pelo amor. Etc.



As visitas aos “planetas”



O Rei representa vontade de liderar, mas confundimos liderar com comandar, liderar é ser, comandar é dar ordens. É a auto-ilusão de um ser humano querer ser mais que outro ser humano.



O Vaidoso represente a necessidade que temos de sobressair da multidão, sobressair subjugando os outros, sobressair pisando os outros.



O Bêbado representa o apego a matéria, o circulo trabalho/casa/trabalho, representa a rotina, representa o estar perdido no meio de tudo.



O Homem de negócios representa a obsessão por algo que ganha uma dimensão tão grande que nos impede de ver mais, mais longe, mais fundo, de outra maneira.



O Acendedor de candeeiros o aumento de velocidade na nossa vida, a falta de tempo por não direccionarmos de forma útil esta vida que agora temos.



O Geógrafo representa os teóricos, os que se recusam a viver a realidade, os que apenas são cultos em frente a um monitor, os que falam de uma forma e actuam de outra, os que adquiriram demasiados conhecimentos e como não os foram aplicando na pratica agora se refugiam na imagem que criaram e de forma alguma sairão da “toca” pela incerteza de se conseguirão estar a altura da imagem que criaram para os outros.



Pg 62 – “Quando toco em alguém, devolvo-o imediatamente à terra de onde veio ….. Resolvo-os a todos – disse a serpente.”



Representação da morte e de como estamos aqui apenas numa forma transitória, não somos daqui!

Além disso com a “morte” física “toda” a informação fica ao nosso alcanço!



Pg 63 – O eco representa a nossa dificuldade em ouvir o que não nos agrada!



Pg 66 – “Julgava-me muito rico por ter ……mal me chegam ao joelho”



A dificuldade que temos em sair do nosso micro universo, o confortável (mas limitador) do chegar e disser ao empregado – o costumo se faz favor! – Sentimos que somos alguém importante, somos conhecidos e todos nos conhecem, mas, quando saímos, ou ficamos fascinados com o “exterior” e vamos em busca, ou voltamos para o conforto limitador do “costumo”.



Pg 66 - (todo o capitulo 11) “Foi então que a apareceu a raposa.”



Demasiado grandioso, nem me atrevo a comentar!



Pg 74 - (capitulo 12) O Agulheiro



Representa as pessoas que observam, estão certos que os outros estão errados, mas que pouco ou nada fazem para ajudar.



Pg 76 - (capitulo 13) O vendedor



Apenas a representação dos degraus que não nos levam a parte nenhuma.



Pg 81 – “Aquela agua muito mais que um alimento. Nascera da caminhada sob as estrelas, do canto da roldana, do esforço dos meus braços.”



Simplesmente e genuinamente o exercício puro da co-criação em acção.



Fico por aqui, é apenas uma coisa de nada comparando com a grandeza do livro, é apenas a minha opinião sobre umas pequeníssimas partes do livro, não tem de forma nenhuma de ser igual a tua, mas também pode ser, quem já leu, seria bom reler, quem nunca leu, que tal pensar em ler.



Fiquem bem

domingo, 18 de outubro de 2009

Tu és totalmente responsável por tudo que te acontece


Por Sílvio Mateus Tarquini, Psicanalista Clínico

E como melhorar? Primeiramente, é preciso se conhecer profundamente, para, em seguida, escolher e aplicar uma ferramenta adequada à sua autotransformação.

Inicie sua auto-análise perguntando-se: eu sou uma pessoa positivista?

Antes de responder, analise as seguintes situações comuns:

1. Quando alguém lhe pergunta COMO VAI? Você responde: "mais ou menos", "vou indo", "vou vivendo", "levando" ou desata a contar a todos os seus problemas. Se você se encaixa nessas situações ou similares, vai continuar MAIS OU MENOS, INDO, LEVANDO, VIVENDO como sempre, além de agravar os seus problemas por estar emanando repetidamente as respectivas ondas negativas cada vez que fala com alguém.

2. Quando fica doente, conta para todos, numa tentativa (consciente ou inconsciente) de atrair atenção (e a compaixão) pela dor? Se procede desta maneira, sua auto-estima deve estar muito baixa. É possível atrair a atenção (e a admiração) pelas suas qualidades que, com certeza, devem ser muitas.

3. No ambiente de trabalho, quantas vezes se flagrou pensando: "ninguém me dá o justo valor", "trabalho como um burro de carga e ninguém reconhece", "ele não faz nada e ganha muito mais do que eu, que injustiça", "ele é um incompetente", "esta empresa é uma droga" e outras que você já deve ter se lembrado.

Já lhe ocorreu que as pessoas ao seu redor REAGEM às ondas que você emite? Como quer ser reconhecido, ganhar mais, trabalhar numa empresa melhor, atrair bons colegas etc., se dentro de você existem apenas críticas e lamentações? Que ondas você está emitindo, positivas ou negativas?

4. Na área afetiva, quantas vezes se flagrou pensando "ninguém me ama", não consigo ter alguém", " fulano ou fulana vive me magoando", "pensa que me engana", "aposto que está mentindo", "quanta cobrança", "assim não dá", "se quiser, vai ser assim", "no início era gentil, agora ...", etc.

Como pode almejar um relacionamento harmonioso se não acredita em você e em seu parceiro ou parceira? Como quer ser amado ou amada se não se ama? Como deseja ter alguém, se não faz concessões? Como quer fidelidade se não acredita que isto seja possível?

No início falamos em crenças absorvidas de nosso meio, lembra-se? Quando era criança, quantas vezes ouviu de seus pais "você não faz nada direito", "esta conversa é de adultos, retire-se", "você é irresponsável", "não adianta mesmo, você não aprende" etc. As críticas sempre foram muito mais enfatizadas do que os elogios. E se já tem filhos, quantas vezes falou o mesmo para eles, quantas críticas foram feitas em relação a cada elogio?

Assim, como alguém tão humilhado e desvalorizado poderá se tornar uma pessoa positivista?

Ainda no ambiente familiar, quantas vezes presenciou discórdias entre seus pais? E quantas vezes os presenciou namorando? Qual foi a imagem que eles projetaram da vida, fácil, agradável ou dura e difícil? E se você já tem filhos, qual é a imagem que está projetando para eles?

Como você está neste momento de sua vida? Feliz, saudável, satisfeito sob todos ou quase todos os aspectos? E você acredita que isto é possível? Ou costuma afirmar que "não se consegue tudo na vida, quando um lado está bom, o outro despenca" ou " até que enfim algo de bom está acontecendo para COMPENSAR o resto". Então você acredita que o bom somente existe como forma de compensação?

Finalmente, reflita sobre os aspectos positivos de sua vida. Você consegue enxergá-los mesmo em situações bastante complexas? Ou presta mais atenção aos aspectos negativos? Quando se lembra do passado, fica remoendo os maus acontecimentos ou adora se lembrar dos bons? Você agradece, antes de dormir, por tudo de bom que lhe ocorreu ou dorme pensando nos problemas?

Depois desta análise, responda-me, você é uma pessoa positivista?

Fiquem Bem

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O Pequeno João Sem Nome


Alguém saberá a quem dedico estas linhas!

O Pequeno João Sem Nome nem um mês de vida durou, já estava doente quando nasceu, aqueles que lá estavam mal o mantinham vivo, eles no íntimo sabiam que não iria conseguir, apenas o podiam manter quente e alimentado, ele morreu por conta própria, assim como se esperava.

O Pequeno João Sem Nome veio e foi, aparentemente num piscar de olhos, menos de um mês de sofrimento e tristeza, possivelmente a maioria de quem lê estas linhas nem por sombras quereria lá ter estado, usualmente nós não pensamos sobre isto, porem, também não podemos fingir que não existe.

Humanistamente, qualquer um de nós que tivesse junto dele teria chorado cada minuto da sua vida, isto porque somos construídos para amar, cada célula do nosso corpo é projectada para se preocupar com as crianças, agir quando se vê uma injustiça.

Então podemos perguntar, onde e como se encaixa então o esquema no Universo? Onde está Deus para deixar inocentes sofrerem assim?

Podemos dizer, e para quê, qual a necessidade de passar por aquilo?

Familiares e amigos deram suporte aos pais, que estavam transtornados, muitos deles com uma intensidade incrível, alguns ficaram de joelhos diante de Deus, implorado aos Santos, chamando por Deus, outros foram a igreja procurar apoio, todas as pessoas espirituais a sua volta rezaram para que o Pequeno João Sem Nome melhorasse, eles oraram para Deus: Pediram por um milagre!


Os Pais, eles pediram aos Santos para estarem com ele, para o ajudarem em tudo, pediram para que os Anjos o protegessem e o curassem, ficaram de joelhos, choraram e lamentaram, assim como pais amorosos fazem em situações horríveis como esta. Depois seus amigos vieram e colocaram suas mãos sobre eles, abraçaram e seguraram suas mãos.

Ele não sobreviveu, os detalhes do toda a situação deixariam cicatrizes na memória dos
Pais para toda a vida, alguns dos amigos que oraram arduamente viraram-se contra Deus. Eles disseram, o que adianta rezar se não funciona? Onde estavam os santos quando precisamos deles? Alguns descartaram seus santos, e muitos precisaram fazer a pergunta: Onde estava Deus quando o pequeno João sem nome precisou dele?

O Pequeno João Sem Nome tinha um Eu Superior, 0 Pequeno João Sem Nome e aquele Eu Superior tinham um acordo para virem para a Terra para criarem exactamente o que aconteceu, para passar por aquilo.

Apesar das preces, apesar de todo o potencial de intervenção angelical, nenhuma entidade exterior neste planeta pode mudar a absoluta livre escolha de outro ser humano, o Pequeno João Sem Nome estava em contacto com seu Eu Superior duma forma que possivelmente poucos podem compreender.
Juntos num nível bem mais elevado e mais grandioso do que se pode imaginar que uma criança pudesse ir, ele e seu Eu Superior reviram o motivo pelo qual ele tinha vindo para a Terra, quando esta revisão terminou, o Eu Superior fez uma pergunta para ele: queres mesmo por isto? Qual é a tua decisão?

Por que isto deveria acontecer? O que o Pequeno João Sem Nome sabia algo que era desconhecido por nós, num nível preenchido com sacralidade, ele sabia que o que iria aconteceu afectaria muitas pessoas, algumas precisavam de examinar a espiritualidade, algumas precisavam de sair de cima do muro e decidir qual o significado de Deus.

Cada um teria uma reacção, uma reacção que poderá durar uma vida inteira, o aparente sacrifício de um foi preparado para providenciar a iluminação para alguns.

O Pequeno João Sem Nome não era tão pequeno assim, ele era um gigante entre os humanos.

Foi-se embora e logo em seguida e voltou, isto é, assim que foi apropriado, ele até se juntou novamente ao mesmo grupo que tinha deixado.

Eles nunca perceberam, talvez nem acreditassem.

Fiquem bem

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

DESCULPA (ou talvez não!)


Usualmente quando somos apanhados em erros (e tal reconhecemos) pedimos desculpa, pois, raramente serve de alguma coisa, raramente aprendermos e interiorizamos o erro para servir de aprendizado, o que na maioria das vezes queremos é limpar a nossa imagem num relâmpago político e manipulador.

Quando realmente o pedido de desculpa é genuíno, realmente aprendemos, isto é, possivelmente nunca mais iremos repetir esse mesmo erro, então sim, ficamos então um pouco maiores por dentro, com mais umas coisas arrumadas, permite então que passe a existir espaço para o que se seguir!

Possivelmente em vez de “desculpa” seria melhor dizer “não leves a mal”

Fiquem bem

domingo, 20 de setembro de 2009

A lição da borboleta


Um dia, uma pequena abertura apareceu em um casulo. Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.

Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso.

Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais.

O homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo.

A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.

O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar com o tempo.

Nada aconteceu!

Na verdade, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas.

Ela nunca foi capaz de voar.

O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo com que o universo fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de modo que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vidas.

Se o universo nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria fracos.

Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar...

Autor desconhecido

Fiquem Bem

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A minha filhota também escreve!


Algo que a minha filhota escreveu no sue hi5 (que ela nem sabe que sigo)

Com 15 anitos ainda não me pode processar por “plagio” (hehehe), alem disso ela nem sabe que este blog existe (chuuuiiiiiiiiiiii)

Fiquem bem

(SIC) lembro-me como se fosse hoje, era um dia cinzento , nublado , fazia algum frio e tinha chovido , por isso a estrada estava molhada e escorregadia. Era um dia de Inverno.
sei que a minha mãe me ligou e perguntou-me se podia ir para casa , a voz dela pareceu-me triste , mas na altura não liguei muito, respondi que sim e também referi que não tinha mais aulas. também perguntou-me pela minha prima e por mero acaso ela também não teve aulas , pediu-me então para ir buscá-la e irmos para casa.
Tenho a imagem de a rua nua e as arvores despidas , ninguém estava na rua, achei um pouco estranho porque aquela rua costuma ser movimentada, mas pensei que fosse devido ao tempo , os carros estavam estacionados nos dois lados da estrada , não me lembro das horas.
Pelo caminha falamos sobre o avô e o facto de ele estar no hospital , ter uma certa idade e a possibilidade de estar quase a morrer. pareciamos mulheres a falar da morte , estavamos serias e a ideia não nos assustava , parecia normal , algo que conseguiriamos lidar.
Cheguei a casa com um tipico sorriso , mas vi a sala escura , a luz estava apagada , tornado a escura e fria sala ainda mais escura . toda a gente estava com roupa preta , cabeça baixa , lenço de papel na mao , estavam tristes , mas não entendi , fiquei assustada, foi então que a minha mãe nos disse o que se tinha passado , senti o meu sorriso a desaparecer e lagrimas a cair pela minha face , como por artes mágicas , vi a minha avo a sair do quarto e sei que me abraçaram com força , chorei muito , muito , como nunca tinha chorado antes. Foi ai que entendi o verdadeiro significado da morte , não era nada do que eu pensava que era , nada do que eu sempre falara . era pior , muito pior , a ideia de que quem gostamos , já não está presente , aliás nunca mais estará , é mais assustadora quando o sentimos , porque a falar parece uma coisa triste , mas banal.
tenho as palavras presas na minha cabeça : 'O avô morreu' .
Aquele homem de olhos azuis claros , cabelo grisalho , cerolas brancas, com uma supresa todos os dias para mim , um rebuçado , uma boneca .. nunca mais o vou ver , tenho saudades dele , saudades dos beijinhos , saudades de quando ralhava conosco , saudades daquela voz autoritária , tenho saudades do meu avô , sim do meu avô. o meu avô que sempre esteve presente na minha vida , acho que de quem gostamos nunca deveria desaparecer , não gosto da sensação de perder alguém , não quero voltar a senti-la , odeio-a. quero o meu avô de volta , mas isso não é possivel porque ?
deveria ser .
tenho um buraco no meu coração , nunca o vou conseguir preencher , porque só tu estavas nesse lugar , nesse trono que é teu.

tenho saudades tuas , amo-te AVÔ ! JURO QUE TE AMO @ és eterno (LL)

25/OUT/04 :'(

domingo, 13 de setembro de 2009

Roupa estendida


Bem, com base numa “epifania” duma Amiga minha!

As mulheres (possivelmente a maioria) são um tédio a estender roupa, isto segundo observação dessa amiga, fica tudo estendido de forma perfeita (aborrecida), bem, primeiro as toalhas todas juntas, depois as calças, finalmente as cuecas e depois as meias (claro, todas aos pares).

- Olá, eu sou a meia do pé direito
- E eu sou a meia do pé esquerdo!

E pronto, acabou a conversa!

Apenas quando são homens a estender a roupa (creio que esta me vais sair cara! Hehehe) é que realmente existe a possibilidade de uma meia dialogar com umas cuecas, com uma toalha, enfim conhecer outros, embora diferentes também são roupa!

Pois, se quisermos olhar duma forma superficial, dá para sentir algum humor, também se quisermos “ver” duma forma mais profunda se poderá ir mais longe, dar forma a como esta nossa sociedade se organiza, ao menos a vontade em lidar com quem é diferente, enfim, cada um que decida.

Enfim, poderei dizer que conheço alguém que criou uma parábola!

Fiquem bem

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Respiração, o importante desconhecido!


Da mesma forma que tudo se iniciou nesta actual vida, vamos também iniciar da mesma forma, isto é, com a respiração!



Pode a partida ser visto como fácil, mas acreditem, da fácil nada tem, mas ok, veremos na prática como se processa.



Vamos iniciar com um pequeno exercício que também deve ou deveria ser feito todos dias, apenas uma vez, mas todos os dias.



Pode dar a sensação que nada tem de espiritual, mas claro que apenas numa forma superficial, explico e depois volto a explicar.



É simplesmente trinta e seis respirações profundas, nada mais que isso!



Encher no máximo a caixa torácica, reter durante 3/4 segundos e depois expirar, mas atenção, expirar mesmo tudo, isto é a totalidade do ar, esvaziar totalmente os pulmões.



Repetir trinta se seis vezes!



Tendo algumas dificuldades é possível dividir por dois ou por quatro, em qualquer horário, mas não ultrapassando as trinta e seis por dia.



Existe a possibilidade de nas primeiras vezes se sentir algumas tonturas passageiras, é devido a níveis mais elevados de oxigénio no cérebro, nada demais, será passageiro, se não, reduzir as respirações para um numero mais adequado e ir aumentando progressivamente até se estar a vontade com a quantidade recomendada.



A partir do momento que se consegue respirar as trinta e seis vezes com relativa facilidade inicias a respiração com o diafragmava (usualmente com a barriga) que é a nossa respiração natural, a partir daqui, as meditações nunca mais serão como eram, serão bem mais profundas e intensas. Como ser humanos (quando os níveis de oxigénio eram “normais”) apenas seria necessário respirar com o peito em situações anormais (grandes esforços/perigos…), claro que também temos os conceitos e ditamos da sociedade em que o rácio está padronizado.



O oxigénio actua como combustível do nosso corpo e por inércia também da nossa mente. Ao longa destas ultimas gerações os níveis de oxigénio têm baixado imenso e como um excelente motor inteligente (julga ela) a nossa mente tem feito cortes orçamentais na distribuição do precioso combustível com incidências dramáticas nos departamentos do discernimento, da balança interior e de mais umas coisitas (serão tratadas lá mais para a frente!).



À cem anos tínhamos oxigénio mas não existia informação (como a que temos hoje), hoje temos informação, mas é necessário recorrer a pequenos “truques” como este para se poder equilibrar, ser fumador ou fazer/viver experiências inibidores de oxigénio também é castrador, claro que existem fumadores com muito discernimento e afins, mas claro que poderiam estar a “voar” um pouco mais “alto”



Mas que tal passar a pratica, informação apenas teorizada não tem grandes efeitos práticos!

Fiquem bem

domingo, 30 de agosto de 2009

PREGUIÇA


A preguiça é mais prejudicial à saúde pública do que o hábito de fumar. Isso ainda não foi devidamente estudado porque, inclusive, deu preguiça nos pesquisadores, ao perceberem o tamanho do sarilho que tinham em mãos.

Fiquem bem

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Chover no molhado (ou talvez não)


Tirei esta foto no aeroporto da Ilha Terceira (Açores) enquanto esperava na fila do “check in”, tirei quando estavam de costas, pai, mãe e três filhos!

Bem, esta família chegou atrasada, bem, quase toda a família, o pai, nunca mais chegava!

Fui apenas observando, os filhos corriam pelo aeroporto em busca dele (pai), a mãe fazia o mesmo, o seu semblante cada vez mais carregado (era o pai que tinha os bilhetes, sobe depois), enfim, isto durou uns 15 minutos, finalmente o pai apareceu e não é que os filhos o receberam com olhares doces e a mãe sorriu e beijou-o!

Pois, pois, usualmente (a boa maneira portuguesa) seria algo assim: Porra, é sempre a mesma coisa, não respeitas nada nem ninguém, eu aqui aflita e tu ………………………… e o resto das ferias “estragadas”.

Não sei qual o motivo do atraso, apenas tive o prazer de “conhecer” visualmente o que aparentemente são cinco seres humanos para os quais “família” não é apenas mais uma coisa!

Devido a nossa falta de equilíbrio repetimos erros sem fim, a esposa bate com o carro, o marido chega e na frente de todos chama-lhe distraída e estúpida quando deveria abraçar e acarinha, ela já se sente mal, não necessita de mais ajuda para tal, claro que depois, com mais tempo pode-se ter uma conversa sobre o acidente, vai-se ao medico de urgência e lá vem o sermão do que se devia ter prevenido atempadamente (claro, é obvio).

A necessidade de “educar” seja como for, a parte “engraçada” é que é sempre para o bem do outro, os nossos pais fizeram connosco e repetimos com os filhos, com os vizinhos, com quem que estiver a “jeito”!

Enfim, temos uma necessidade inata de dizer: eu tinha-te avisado! Porem, um amigo (seja familiar ou não) não tem esse direito, existe um prazer em dizer de forma encoberta atrás do “eu tinha-te avisado” eu é que tinha razão, eu é que sei, eu, eu, eu, eu ……………

Será que isso nos faz maus por natureza?! Creio que não, creio que apenas nos faz clones de algo que se denomina comportamentos adquiridos, isto através da sociedade que nos relacionamos, ou seja “pescadinha de rabo na boca”, sociedade faz de nós pessoas menos boas e não fazemos da sociedade algo também menos bom, um circulo que está a demorar a ser quebrado, reitero: a pergunta que poucos fazem e todos deveríamos fazer é: E se fosse eu? Se fosse comigo? Se fosse com os meus?
Claro que quando digo isto pessoalmente a alguém, essas pessoas (a maioria) pensa nisso uns 17/18 segundos, depois se comento humoristicamente que se as mulheres tivessem os seios nas costas receberiam muitos mais abraço (é exactamente como estas a pensar, vais-te recordar muito mais de 17 segundos)

Fiquem bem

ICC- não Mi, não estou zangado nem mal disposto, estou muito em paz!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

MULHER MUITO RODADA !!!???


“Pois bem, hoje necessitei de uma determinada peça e tive que me deslocar a um fornecedor.
Quando cheguei, apenas tinha uma pessoa a minha frente, uma mulher de trinta e qualquer coisa, com um corpo aparentemente interessante e um rosto bonito, com ela estava uma menina que não deveria ter mais de seis anos, era filha, pude depois constatar (bem com os anda cá filha era difícil não o fazer).
Quando saiu foi a minha vez de ser atendido, o funcionário que já é meu conhecido comentou em jeito de brincadeira
– Uma divorciada boa para si!
De imediato antes de qualquer palavra minha, um colega (também funcionário) comentou
- Aquilo já é material muito rodado!
Pois “tá” claro, tinha logo que vir o meu mau feitio ao de cima, logo iniciei calmamente uma “palestra” com aqueles dois conhecidos.

Primeiro não “sei” qual é o significado local (ilha Terceira) de mulher muito rodada, o significado de mulher, isso sei! Possivelmente o que tu chamas mulher muito rodada, eu chamo mulher intensa, mulheres que se entregam de coração é alma a alguém que para tal ainda não está preparado, qual o ser humano relativamente equilibrado que não deseja por companhia outro ser humano que se entregue com igual intensidade, seja num relacionamento de uma noite ou mais vasto.

Quase tudo na vida, sabemos como se inicia, porem, não sabemos o desfecho, demasiadas vezes o medo invado a privacidade e provoca danos possivelmente irreparáveis, esse medo que é inverso de amor embalado pela falta de auto estima fez e faz mais vitimas do que muitas doenças físicas, como se pode hoje, julgar uma mulher pelo numero de relacionamentos que teve, pode ter as maiores qualidades do mundo, porem, teve demasiados relacionamentos, questionei quantos é que são os aceitáveis, não me souberam responder!

Também evoquei que a opinião dos outros não deve ser muito levada em conta, ela é algo que vai e vem ao sabor da futilidade dum povo, que pessoalmente não levo em conta de uma “mulher é rodada” ou não (já um carro é diferente! Hehehe), para mim são outros valores que se impõem, sendo a intensidade um deles, quando questionei se tivessem um mulher fantástica mas “muito rodada” porem que tal não fosse do conhecimento do “Povo”, claro que a resposta foi afirmativa, tudo pode desde que ninguém o saiba, continuamos na pré-história!”

Quando encontramos alguém que vibra com intensidade, possivelmente mentes ainda “jovens” confundem com facilidade, obvio que levar uma mulher para a cama é fácil, já completa-la exige muito mais que a parte física, ter uma mulher na cama é fácil, partilhar uma parte da nossa vida com uma mulher é bem mais complicado, é algo que todos os dias deve ser cuidado, regado, tocado (mentes perversas! Hehehe) de forma mais profunda do que o é possível fisicamente.

Bem-haja a todas as Mulheres intensas deste mundo.

Fiquem bem

sábado, 11 de julho de 2009

segunda-feira, 29 de junho de 2009

O MAIS IMPORTANTE QUE FIZ NA VIDA!


Numa conversa com colegas, perguntaram-me o que tinha de mais importante na vida feito até hoje.
Não respondi, apenas sorri, retirei-me e recordei!

Eu estava com um amigo meu num bar, estávamos a festejar o nascimento naquela tarde do seu primeiro filho, riamos, abraçávamo-nos, enfim a felicidade estava perfeita.
O pai do meu amigo entrou e informou que o bebé estava com problemas respiratórios graves e que tinha sido transferido para os cuidados intensivos.
O meu amigo saiu de imediato com pai para o hospital, eu fiquei sem saber o que devia fazer, deveria ir também para o hospital!? De que serviria a minha presença, certamente que o bebé estava ser acompanhado por médicos e enfermeiros, que poderia eu fazer, dar apoio moral? As famílias de ambos eram numerosas e unidas, certamente iam lá estar imensos familiares a apoiar, possivelmente eu só iria atrapalhar.
Decidi que mais tarde iria então ao hospital, quando aí reparei que o carro do meu amigo estava com o vidro aberto e com as chaves na ignição, fechei o carro e resolvi ir levar-lhe as chaves ao hospital.
Como tinha imaginado, estavam lá imensos familiares, entrei e fiquei junto a porta sem saber o que fazer, não demorou muito tempo e um medico apareceu e em voz baixa informou o casal do falecimento do bebé. Aqueles instantes em que o casal ficou abraçado senti-os como um eternidade, os familiares rodeavam o casal num silêncio de dor, o medico perguntou se queriam ficar os instantes a sós com o filho, os meus amigos encaminharam-se resignadamente para a porta, ao me ver aquela mãe abraçou-me chorando, o meu amigo também se refugiou nos meus braços dizendo: MUITO OBRIGADO POR ESTARES CÁ!

Durante o resto da noite, fiquei em silêncio na sala de espera, vendo através dum vidro o meu amigo e a esposa segurando o Bebé nos braços, a despedirem-se do filho.

Isto foi o mais importante que fiz na minha vida!

Três lições ficaram deste trágico acontecimento:

PRIMEIRA: O mais importante que fiz na vida aconteceu quando nada de nada podia fazer, nada do que tinha aprendido da vida, nem toda a racionalidade que utilizei para analisar a situação e decidir o que deveria fazer servia para aquela circunstancia, duas pessoas receberam um tragédia e eu nada podia fazer para remediar.
A única coisa que podia fazer era esperar e acompanhar.

SEGUNDA: Estou convicto que o que fiz de mais importante na minha vida esteve quase para não acontecer, isto pelo que tinha aprendido na vida, os conceitos, o politicamente correcto, todas as racionalidades que usava no dia a dia, ao aprender a pensar quase desaprendi de sentir.
Hoje não tenho qualquer dúvida que devia logo ter saltado para dentro do carro, sem qualquer vacilação em acompanhar o meu amigo ao hospital.

TERCEIRA: Aprendi que a vida pode mudar num instante, intelectualmente todos o sabemos, porem, acreditamos que “azares” ou/e infortúnios só podem acontecer aos outros.
Fazemos planos e criamos expectativas imaginando como algo real e certo, como se fosse possível não existir espaço para outros acontecimentos.
Quando acordamos de manhã, nem sequer nos passa pela mente que perder o emprego, sofrer de uma patologia ou cruzarmo-nos com um condutor alcoolizado pode mudar a nossa vida para sempre, obvio que não se deve viver em função disso, mas será necessário esperar que seja uma tragédia a mudar a nossa vida.
Desde aquele dia procuro o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, aprendi que nenhum emprego (por mais fantástico que seja) compense perder umas ferias, romper uma relação, aprendi que o mais importante não é ganhar dinheiro, nem ascensão social.

Uma das coisas mais importantes da vida é ter tempo para cultivar a amizade!

Fiquem bem

João Gonçalves

ICC- Dedico esta ficção baseada em factos reais ao meu amigo Luís que não tenho acompanhado como deveria!

domingo, 28 de junho de 2009

PROTESTAR


Creio que quase em todos os países deste mundo o povo vai (ou já foi) para a rua protestar quando as coisas estão menos bem, na Argentina, França, Irão, Portugal, etc.

Claro que multidão está longe de ser um sinónimo da clareza, porem, é sempre algo que mostra ao governo e ao mundo que o povo não é tão “cordeiro” como possivelmente gostariam!

O que me levou a escrever esta meia dúzias de linhas foi a questão do Brasil, todos os dia leio algo sobre corrupção, violência, falta de cuidados de saúde, etc.

Leio queixas e mais queixas, mas o que se passa, o povo não se revolta, fica-se pelas queixas??!!

Fiquem bem

sexta-feira, 26 de junho de 2009

A RATOEIRA


Um rato, olhando de seu buraco na parede, viu o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Ficou curioso para saber que tipo de comida poderia ser. Aberto o pacote, ele constatou, horrorizado, que se tratava de uma ratoeira. Imediatamente foi para o pátio da fazenda e chamando a todos advertiu-os dizendo: Tem uma ratoeira na casa!
Tem uma ratoeira na casa!

A galinha estava biscando mas levantou a cabeça e disse: Desculpe-me Sr Rato, entendo que é um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.

O carneiro disse: desculpe sr Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser orar; fique tranquilo que o senhor será lembrado nas minhas preces.

A vaca falou: O quê? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? É claro que não!

O rato então, voltou cabisbaixo e abatido para o seu esconderijo.

Naquela noite ouviu-se o barulho da ratoeira pegando sua vítima. A esposa do fazendeiro correu até a cozinha e não viu, no escuro, que a ratoeira havia pego a cauda de uma cobra venenosa, e esta mordeu a perna da mulher. O fazendeiro levou a esposa para o hospital, imediatamente. Ela voltou com febre e para alimentá-la, nessas condições, nada melhor do que uma canja. O fazendeiro matou a galinha e a canja foi feita. Como a doença da mulher continuasse, amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá-los o fazendeiro matou o carneiro. A mulher acabou morrendo. Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro, então, matou a vaca, para alimentar todo aquele povo.

De hoje em diante, quando alguém próximo de você revelar que está com um problema e você quiser acreditar que isso não lhe diz respeito, lembre-se de que quando há uma ratoeira, todos correm risco.

Fiquem bem

domingo, 21 de junho de 2009

Insanidade


Uma das definições de insanidade é fazer repetidamente a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

Demasiadas vezes praticamos isso mesmo nos relacionamentos, nos empregos, enfim, em todas as facetas das nossas vidas.

Temos a grande capacidade de nos queixarmos, porem não entendemos que isso só trás miséria emocional, já a capacidade de se ser grato pelo que temos, pedir desculpa e dizer obrigado é um catalizador de felicidade.

Fiquem bem

sábado, 13 de junho de 2009

Estupidez!!!!!


Bem engraçado, imensos argumentos de que tem que ser assim por que “todos” assim fazem ou por que sempre se assim fez!
Existe, por que “todos” acreditem que existe!

Creio que a coisa que “todos” os povos deste mundo mais têm em comum é a estupidez, isso, pelo que acima descrevo deveria fazer dum estúpido alguém que está certo!!??

Um dia, nós todos iremos ver claramente que os nossos governantes são simplesmente condutores de asnos!

Fiquem bem

segunda-feira, 8 de junho de 2009

VINTE LIÇÕES DE VIVER


Tese de um pensador russo chamado George Gurdjieff, que no início do século passado já falava em auto-conhecimento e na importância de se saber viver. Dizia ele:

"Uma boa vida tem como base o sentido do que queremos para nós a cada momento e daquilo que, realmente, vale como principal."

Assim sendo, ele traçou vinte regras de vida que foram colocadas em destaque no Instituto Francês de Ansiedade e streasse, em Paris.

Dizem os especialistas em comportamento que, quem já consegue assimilar dez delas, com certeza aprendeu a viver com qualidade interna.:

1. Faça pausas de dez minutos a cada duas horas de trabalho, no máximo. Repita essas pausas na vida diária e pense em você, analisando as suas atitudes.
2. Aprenda a dizer não sem se sentir culpado ou achar que magoou. Querer agradar a todos é um desgaste enorme.
3. Planeje seu dia, sim, mas deixe sempre um bom espaço para o improviso, consciente de que nem tudo depende de você.
4. Concentre-se em apenas uma tarefa de cada vez. Por mais ágeis que sejam os seus quadros mentais, você se exaure.
5. Esqueça, de uma vez por todas, que você é imprescindível. No trabalho, em casa, no grupo habitual. Por mais que isso lhe desagrade, tudo anda sem a sua actuação, a não ser você mesmo.
6. Abra mão de ser o responsável pelo prazer de todos. Não é você a fonte dos desejos, o eterno mestre de cerimónias.
7. Peça ajuda sempre que necessário, tendo o bom senso de pedir sempre às pessoas certas.
8. Diferencie problemas reais de problemas imaginários, elimine-os porque são uma perda de tempo e ocupam um espaço precioso para as coisas mais importantes.
9. Tente descobrir o prazer de fatos quotidianos como dormir, comer, tomar banho, sem também achar que é o máximo a se conseguir na vida.
10. Evite se envolver na ansiedade e tensão alheias enquanto ansiedade e tensão. Espere um pouco e depois retome o diálogo, a acção.
11. Família não é você, está junto de você, compõe o seu mundo, mas não a sua própria identidade.
12. Entenda que princípios e convicções fechadas podem ser um grande peso, a trave do movimento e da busca.
13. É preciso ter sempre alguém em que se possa confiar e falar abertamente ao menos num raio de cem quilómetros. Não adianta estar mais longe.
14. Saiba a hora certa de sair de cena, de retirar-se do palco, de deixar a roda. Nunca perca o sentido da importância subtil de uma saída discreta.
15. Não queira saber se falaram mal de você e nem se atormente com esse lixo mental; escute o que falaram de bem, com reserva analítica, sem qualquer convencimento.
16. Competir no lazer, no trabalho, na vida a dois, é óptimo . . . para quem quer ficar esgotado e perder o melhor.
17. A rigidez é boa para uma pedra, não no homem. A ele cabe firmeza, o que é muito diferente.
18. Uma hora de intenso prazer substitui com folga três horas de sono perdido. O prazer recompensa mais que o sono. Logo não perca uma oportunidade de divertir-se.
19. Não abandone as suas três grandes inabaláveis amigas: a intuição, a inocência e a fé.
20. Entenda de uma vez por todas, definitiva e conclusivamente: você é o que se fizer.

Foto (Inês) a do meio!

Fiquem bem

terça-feira, 2 de junho de 2009

Aversão à Iniquidade


Em laboratório, a professora Sarah Brosnan conduziu uma experiência no formato “uva VS pepino”, foi feito um estudo no qual macacos recebiam um pedaço de pepino ou uma uva como recompensa por uma tarefa simples.

Se os dois macacos recebiam a mesma recompensa, nunca havia problema.

As uvas eram de longe as preferidas (como nós, como verdadeiros primatas, eles dão preferência para o teor de açúcar), também quando os dois recebiam pepino, a tarefa continuava a ser feita.

No entanto, quando recebiam recompensas diferentes, aquele que era negligenciado começava a falhar nas tarefas e logo depois uma rebelião e a recusa de executar a tarefa ou então recusava comer o pepino.

Esta é uma resposta "irracional", no sentido de que, se na vida (e da economia) se tenta à maximização do lucro, os macacos sempre aceitavam e comiam o pedaço pepino que lhe era dado no fim da tarefa, mas não aceitavam quando o parceiro estava recebendo algo melhor.

Em seres humanos, essa reacção é chamada de "aversão à iniquidade".

Se em macacos está resposta “irracional” vem de algo que se deve chamar sentido de justiça, em seres humanos (macacos sem pelo (alguns)) através da complexidade social demasiados recebem pepino quando deviam receber uvas e vice-versa!

A “aversão à iniquidade” é pouco usada por nós, motivos sociais como politica, religião, etccccccc

Creio que um pouco de anarquia seria saudável!

Fiquem bem

João Gonçalves

ICC – não confundir anarquia com caos!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Orgasmo “espiritual”


Olá a todos, recebi alguns mails a questionarem-me sobre o orgasmo “espiritual”, possivelmente será mais orgasmo energético.

Quanto em tempos fui algo parecido com um terapeuta, versei-me na energia sexual, possivelmente por ser a energia mais acessível ao ser humano!

Passo a explicar:

Embora tenha bebido em diversas fontes, foi a meditação que me despertou o que se pode chamar de plenitude, como sempre fui pesquisador fui fazendo experiências e testando energia sendo eu a principal cobaia!

Escolhi a energia sexual por ser algo relativamente fácil para a maioria dos seres humanos, algo que numa fase inicial funciona como aquele encosto que se dá a uma bateria quando o carro não pega, algo fácil e sempre disponível!

Embora este formato de orgasmo seja violento (na vertente do prazer), ela foi criada como terapia de equilíbrio e não como outra vertente de prazer (embora não tenha encontrado contra indicações em ser usada num formato recreativo!)

Na base, alguma formação e prática meditativa é sem dúvidas importante, depois, quem quiser pode seguir as indicações que vou escrever.

Inicia-se deitado no chão (pode ser em cima de um pequeno colchão) com as pernas flectidas e as solas dos pés no chão.

Iniciar com relaxamento de todo o corpo, deixar o corpo e mente afundar totalmente, depois, ver/sentir umas raízes a crescerem da zona genital, percorrerem as pernas e suavemente saírem pelas solas dos pés, entrarem pela terra e suavemente irem até ao centro da terra (coração de Gaia)

Começar então a puxar energia do centro da terra pelas raízes, pelas pernas e acumular essa energia em formato de bola de luz branca na zona sexual (a cor branca é numa fase inicial, como também numa fase inicial pode-se ajudar a energia a fluir fazendo contracções com o sexo), vai-se acumulando mais energia, e mais, cada vez mais (sempre visualizando a esfera de luz branca) que vai se tornando cada vez mais quente, cada vez vai vibrando mais e mais e cada vez mais e mais quente!

Com a vibração e o calor da esfera branca, a excitação sexual começa primeiro por aparecer timidamente para depois pouco a pouco (com o aumento da energia) vai crescendo e aumentando e aumentando (nesta fase é bom os iniciantes pararem, a pressa raramente é recompensada).

Depois de se sentirem confiantes (com o paragrafo acima), podem continuar, e sempre aumentando a energia, a vibração até ao orgasmo, aos que chegam até aqui, é realmente fantástico, mas ainda é só metade do caminho, depois de também “treinarem” esta ultima parte, estarão então possibilitados de passarem a ultima fase.

Ultima fase:
Quanto depois de ter acumulado energia e vibração e se está a um milésimo do orgasmo, visualiza-se a coluna vertebral num formato de coluna de luz, mentalmente pega-se na bola de luz branca e faz-se ela iniciar uma subida (pela coluna) de forma muito lenta, indo essa energia (esfera de luz branca, vibrante e muito quente) reparando, limpando, reformulando (isto é a nível de chacras mas fica para outra vez), vai subindo muito lentamente pela coluna e finalmente chega a cabeça, aí, acumula-se toda essa energia na cabeça por um tempo que cada um na altura saberá duma forma intuitiva, depois, duas possibilidades, ou se encosta a língua ao palato e encaminha-se essa energia para o coração, ou (orgasmo energético) liberta-se toda essa energia pelo topo da cabeça (num formato de abertura duma garrafa de champanhe) é usualmente aí que se pode desmaiar, sem qualquer efeito menos bom, no máximo se pode ficar entre 20/30 minutos inconsciente.

A energia ao ser liberta irá se misturar com a energia envolvente e irá ficar limpa e pura, voltando ao corpo num formato de chuva dourada ou prateada.

Fiquem bem

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Pandemia??!! Mensagem de Matthew


Aqui é Matthew, com uma pequena mensagem para assegurar a vocês que o último plano dos illuminati – guerra biológica – irá falhar. Novamente os trevosos estão influenciando indivíduos em posições poderosas. A estratégia mais recente – ordenar o projeto em laboratório, a criação e a dispersão do vírus da gripe suína – é, como antes, que a parte controlada da mídia do plano, declare uma Pandemia! Esses trevosos não aprenderam com seus fracassos com a SARS e, em seguida, com a gripe aviária, ambas tendo grande propaganda, com prognóstico de pandemia mundial; no final esta publicidade foi forçada a parar, pois essas doenças causaram muito poucas mortes e acabaram desaparecendo. Esta situação de gripe suína terá o mesmo resultado. A tecnologia de nossa família de outras nações estelares tem neutralizado a vacina, que foi feita com a intenção de espalhar esta doença, assim como eles fizeram para evitar o espalhamento da SARS e da gripe aviária.

Fiquem bem

domingo, 26 de abril de 2009

Directrizes para o Ser Humano “Saint Germain?”


Você receberá um corpo físico.
Você pode amá-lo ou detestá-lo, mas ele será seu ao longo de toda a sua existência.

Você receberá lições.
Você estará matriculado na escola da vida em período integral.
Você terá oportunidades para aprender a cada dia que passa.
Você poderá usar estas oportunidades ou deixá-las passar simplesmente.
Não há erros, apenas lições.
O crescimento é resultado de um processo de tentativa e erro: uma experiência.
As experiências fracassadas são tão parte do processo tão importantes quanto as que funcionam.
Uma lição se repetirá até que tenha sido aprendida.
Esta lição será apresentada a você sob várias formas até que você a tenha aprendido.
Quando conseguir isso, poderá então passar para a próxima lição.
Aprender lições é um processo interminável.
Não há nenhum evento na vida que não contenha uma lição.
Se você está vivo, sempre haverá uma lição para aprender.

Lá não é melhor que aqui.
Quando o seu lá se transformar em aqui, você apenas estará obtendo outro lá que, mais uma vez, parecerá melhor que aqui.
Os outros são apenas espelhos da sua própria imagem.
Você não pode amar ou detestar alguma coisa em outra pessoa sem que isso reflicta alguma coisa que você ama ou detesta em si mesmo.
É você quem escolhe o que quer fazer da sua vida.
Você tem todas as ferramentas e recursos de que precisa.
O que faz com eles, é problema seu.
A escolha é sua.

As respostas estão dentro de você.
As respostas às questões da vida estão dentro de você.
Tudo que você tem a fazer é prestar atenção, ouvir, confiar e agir.

Fiquem bem

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Urina


Passamos nove meses no útero materno flutuando (gravidade quase zero) no líquido amniótico, que consiste basicamente de urina. Os bebés recém-nascidos possuem, em geral, uma pele muito bonita e uniforme. Talvez devido a essas duas constatações, pesquisadores desenvolveram muitos cremes para melhorar a condição da pele de adultos usando como matéria-prima básica a urina de alguns animais, esta é a situação que “temos” na actualidade.

Existe vasta literatura que detalha o uso medicinal da ingestão oral da própria urina (basta uma pequena pesquisa na net). Este uso é conhecido como Urinoterapia e diz-se que ajuda a curar todas as doenças do corpo, até cancro. Na Engenharia Eléctrica conhece uma técnica empregada frequentemente em circuitos electrónicos, chamada de feedback (realimentação), consiste em retirar-se uma amostra do sinal de saída do circuito e injecta-lo na entrada desse mesmo circuito, o que altera as características de funcionamento (para atingir um novo desempenho desejado) do circuito considerado. Com a Urinoterapia ocorre algo semelhante, onde a realimentação, ao invés de ser eléctrica, é química: a urina que sai do circuito (corpo) é realimentada na sua entrada (boca), para obter a alteração desejada do comportamento do corpo (seu funcionamento saudável).

A urina ingerida não é exactamente um medicamento, mas sim uma informação, que especifica os desequilíbrios presentes no organismo. Quando essa informação contida na urina passa pela boca e pela garganta, ela activa certos receptores sensoriais que, por sua vez, estimulam o sistema imunológico para ele corrigir os desequilíbrios assinalados. Em várias experiências, constatou-se que quando a urina era introduzida directamente no estômago da pessoa, por uma sonda gástrica, não se tinha os mesmos efeitos que a urina bebida.

Convém notar que a urina é uma parte filtrada do sangue da pessoa. Portanto, é um líquido muito pouco tóxico: sua toxicidade é directamente proporcional à toxicidade do sangue da pessoa considerada, que nunca é muito elevada (caso contrário, a pessoa estaria morta por envenenamento de seu sangue). Quem já passou vários dias comendo apenas frutas, já constatou que a urina, neste caso, torna-se incolor, inodora e sem sabor, as características de uma água pura. Já em casos de pessoas com alimentação comum, a urina apresenta-se com cor (usualmente amarelada) e tem cheiro e sabor desagradáveis (características vindas do sangue). Verifica-se, portanto, que a realimentação será variável, conforme a situação física (de saúde ou doença) da pessoa. Em situação de vítimas presas em escombros de terramotos, a Urinoterapia poderá manter a pessoa viva por um período mais longo, podendo proporcionar tempo suficiente para ela ser salva com vida.

Claro que a repulsa que tal nos provoca é terrível, mas será sem duvida no mesmo formato que nos povos que não bebem leite, o mesmo lhes sabe a saliva, enfim, não tenho opinião formada sobre o assunto, como sou pesquisador, pode ser que um dia destes teste tal terapia e então, aí poderei dizer algo na primeira pessoa, até lá, fico por aqui!

Fiquem bem

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Agua do chuveiro


Mas por que raio é que tenho que por creme no corpo quando saio do duche, isto se quero ter a pele macia?
Por que raios também (no tempo em que tinha cabelo) tinha que usar amaciador para ter o cabelo sedoso?

Bem, pesquisando podemos descobrir que o nosso corpo pode absorver de 600 a 1000% a mais de químicos que a agua domestica contem do que se bebêssemos essa agua toda num dia (isto baseado num duche de 10 minutos)

O cloro é adicionado a água para destruir matéria orgânica, thasssrammm, nós somos matéria orgânica viva!

Moral da coisa, vou procurar e comprar um filtro para aplicar no chuveiro!

Fiquem bem

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Vítimas não “aceites”!


Por que será que nas tragédias, quando ficamos a saber ou é perto de nós, acabamos por perguntar a nós próprios (nem que seja por uma fracção de segundo), até que ponto essas “vítimas” poderiam ter evitado a situação, talvez se ela não vestisse uma sai tão curta, ou um decote tão libertador ou ele não tivesse ido aquela hora tardia ao Multibanco, por que tinha aquela religião, por que tinha aquela cor politica, etc.

Talvez não passe de uma forma inconsciente de nos protegermos de algo que nem sabemos bem o que é, temos argumentos fantásticos relativamente aos outros, achamos certa piada por os excrementos de pássaro caírem em cima do vizinho, cair em cima de nós não é possível! (um dia vai ser)

Creio que “todos” nós pelo menos uma vez já pensamos que algo que aconteceu a alguém foi culpa desse mesmo alguém, se é acaso ou predisposição é bem mais complexo e não vou querer entrar por aí, apenas estou a falar desta característica num formato social.

Fiquem bem

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Exterior VS Interior

Acabei hoje as minhas nano-ferias! Possivelmente por falta de assunto coloco este vídeo, creio que existe a possibilidade de muitos de nós ainda sermos assim, uma coisa para os outros, algo bem diferentes para nós!

Fiquem bem
video

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Quase todas as mulheres querem ser violadas!


Bem, foi um comentário radical de um colega meu!
Mas será que é assim, será que quase todas as mulheres têm essa fantasia?

Creio que tem que ter um fundo de verdade, porem, está certamente deturpado, algumas mulheres gostam de algum “empenho mais feroz” nas relações sexuais, não existindo um gosto peculiar como em alguns nicho (Sado/masoquismo/bondage,etc), não será simplesmente algum narcisismo por parte de “muitas” mulheres em que num formato inconsciente acham que nenhum homem lhes pode resistir em que ele tem que as possuir nem que seja a força!
Claro que também “nenhuma” mulher quer conscientemente ser magoada, mas ser possuída encostada a uma parede por alguém que ela escolha num formato mais selvagem deve-lhe ser bem atractivo!

Fiquem bem

segunda-feira, 30 de março de 2009

Desenvolvimento dos comentários do alcoolismo


Este post é criado para dar mais amplitude aos comentários do post sobre o alcoolismo, não é com intenção de refutar seja o que for, apenas para desenvolver temas que filosoficamente podem ter algum valor e utilidade, vou fazendo por usar a máxima que ninguém está 100% certo nem 100% errado!

Para quem quiser, possivelmente é melhor ler o post (alcoolismo) e os comentários,

Como é usual, o tema que era alcoolismo desenvolveu-se e passou a deus/bíblia, mas é assim mesmo que deve ser, não nos devemos deixar limitar por assuntos (no mesmo formato que se tem conversas com outros seres, ou como se diz, os temas são como as cerejas, puxa-se uma e vêm mais junto).

Independentemente do que é deus, ou do que é que cada um de nos acredita o que é deus, é importante trabalharmos para ser cada vez melhores seres humanos, não costumo pensar em deus, não acho útil, talvez o sinta como um parente muito afastado que alguns familiares de vez em quando falam dele, cada um a sua maneira mas que não conheço, prefiro pensar que deus sou eu, és tu, somos todos, cada um de nós é responsável por tudo o que lhe acontecesse (tanto de bom, como de menos bom).

Sobre a bíblia, bem, é uma tradução, as traduções são traduzidas por tradutores (está foi La”palice), esses tradutores (como todos nós) têm conceitos, preconceitos e são limitados (também como todos nós), traduzir não é apenas trocar a nacionalidade das palavras, é muito mais profundo, tem que se ter grandes conhecimentos, quando se trata de textos antigos e de culturas diferentes é bem mais complicado, se eu escrever que num relacionamento que tive levei com os pés, possivelmente se esse texto chegar a ser lido por alguém daqui a dois mil anos não irão entender que dar com os pés é gíria que quer dizer que fui rejeitado!

Se inclusivo a pontuação pode ser dramática, como está situação real provocada por um erro de tipografia em que a falta duma vírgula mudava todo o contexto!
Jesus na cruz diz para o ladrão que está arrependido:

Como te arrependeste hoje (virgula) estarás comigo no céu. (mais ou menos assim)

Agora sem virgula:

Como te arrependeste hoje estarás comigo no céu.

Claro que sabemos que é um erro de impressão naquela edição, mas sabemos por que a história nos foi contada repetidamente, que segundo a bíblia Jesus só foi passado 3 dias e não naquele dia, e se nunca tivéssemos ouvido falar nela?

Bem, mas indo mais longe:

B”rashitbaraelohimethhashamayimv”ethh”areths

É a frase inicial do Génese que foi traduzida por “no princípio criou Deus o céu e a terra”, no hebreu antigo não existia separação entre as palavras, ok, vamos separar!

1-B”rashit bara elohim eth hashamayim v”eth h”areths

“A andrógina força formou o duplo céu”

2-B”rash itbara elohim ethhashamayim v”ethh”areths

“No princípio (alguém) fez os céus e a terra”

Sem entrar no espaço em que elohim é o plural de um nome feminino penso que posso dizer que a verdadeira Bíblia hebreia foi perdida e que a Bíblia que temos (judia) é apenas uma gota de água num oceano em relação a original.

Bem voltando a separação nº 1, ela retira totalmente qualquer ligação com qualquer início mas sim com continuação.

Sendo assim (digo eu) as bases que serviram para o texto estão erradas (“inocentemente” traduzidas)

Bem, serviu apenas para tentar demonstrar a falta de fiabilidade das traduções de documentos antigos, é um pouco ao sabor das crenças do tradutor.

Também no corão não existe nada o proibir os muçulmanos de comerem carne de porco, fala apenas de alguns animais impuros, na pratica acredito que foi assim, o Porco bebe muita agua diariamente, a pele não serve para nada, não é animal de carga, sendo assim é um péssimo animal para usar nos desertos, isto, economicamente, mas como convencer milhões que ele não é rentável, fácil, deus disse que o porco é proibido! Resolvido!

Fiquem bem

domingo, 29 de março de 2009

Filhos, erros e mais erros


Usualmente tentamos corrigir falhas, falhas nossas e/ou falhas nos nossos filhos, a sociedade afirma que é o correcto a fazer, mas será?!, não será mais eficaz ensinarmos a pensar, incutir a criatividade e imaginação do que criticar?!

Somos peritos em criticar as acções dos nossos filhos, não será melhor reflectir com eles sobre……. Os tradicionais “raspanetes” e sermões já não funcionam, apenas afastam os nossos filhos.
Quando abrimos a boca para mais uma vez repetirmos as mesmas coisas se sempre, os nossos filhos já sabem (de core e salteado) o que vamos dizer, eles já têm tudo isso gravada e simplesmente se fecham, quando estou a falar com a minha filha mais velha (15 anos) e ela cruza os braço, eu paro, ela não está receptiva, guardo para outra altura e tento fazer doutra forma, tentar ir em frente naquele momento só irá a afastar de mim.

Quando um filho nosso erra, ele já sabe como vamos reagir, e aí essa nossa reacção previsível não irá causar nenhum impacto no seu emocional no sentido de crescimento, apenas sofrimento, por vezes vamos por muitos anos repetindo as mesmas coisas, e eles continuam a repetir também as mesmas falhas, isto é, os nossos filhos são “teimosos” e nós nada criativos, passar anos e anos com um filho e não conseguir comunicar com ele demonstra que possivelmente estamos a fazer algo menos certo.

Creio que foi no trabalho que descobri duma forma consciente que elogios devem ser públicos e reprimendas devem ser privadas, se tal afecta um adulto, como será com uma criança.
Criticar uma criança em publico pelos actos que cometeu produz uma humilhação que essa criança não irá esquecer, possivelmente os objectivos do adulto serão atingidos, mas que custo terá para aquele futuro adulto?!

É típico quando se gera discussões o adulto dizer (gritar) que quando tiveres uma casa tua fazes a tua maneira, até lá estas na minha casa fases como eu digo (muitas vezes acompanhado de alguma violência física, claro, a adulto ganha, mas não ganha respeito, ganho o temor do filho, não creio que se deva ter medo de perder a autoridade, perder os filhos é bem mais grave.

Creio que ganhei mais respeito das minhas filhas um dia em que as abracei a chorar do que em toda a vida delas!

Fiquem bem

sexta-feira, 27 de março de 2009

"Lei" do retorno


Quem quiser saber mais, basta fazer uma pequena procura na net!

Sempre desde que me recordo como gente ouvi dizer, cá se fazem, cá se pagam! Ou quem sêmea vento colhe tempestades!

Bem, possivelmente basta olhar a nossa volta com olhos de ver, não apenas naquela forma superficial do “ele é tão mau e está tão bem na vida”

Pessoalmente sempre gostei mais de lhe chamar efeito boomerang

Encontrei esta pequena “estória” na net que dá uma ideia!

Fiquem bem

"O pequeno Zeca entra em casa, após a aula, batendo forte os seus pés no assoalho da casa. Seu pai, que estava indo para o quintal para fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chama o menino para uma conversa. Zeca, de oito anos de idade, o acompanha desconfiado. Antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado:
- Pai, estou com muita raiva. O Juca não deveria ter feito aquilo comigo. Desejo tudo de ruim para ele.
Seu pai, um homem simples mas cheio de sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a reclamar:
- O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito. Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir à escola. O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco cheio de carvão. Levou o saco até o fundo do quintal e o menino o acompanhou, calado. Zeca vê o saco ser aberto e antes mesmo que ele pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo:
- Filho, faz de conta que aquela camisa branquinha que está secando no varal é o seu amiguinho Juca e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endereçado a ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou.
O menino achou que seria uma brincadeira divertida e passou mãos à obra. O varal com a camisa estava longe do menino e poucos pedaços acertavam o alvo. Uma hora se passou e o menino terminou a tarefa. O pai que espiava tudo de longe, se aproxima do menino e lhe pergunta:
- Filho como está se sentindo agora?
- Estou cansado mas estou alegre porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa.
O pai olha para o menino, que fica sem entender a razão daquela brincadeira, e carinhoso lhe fala:
- Venha comigo até o meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa.
O filho acompanha o pai até o quarto e é colocado na frente de um grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto! Zeca só conseguia enxergar seus dentes e os olhinhos. O pai, então lhe diz ternamente:
- Filho, você viu que a camisa quase não se sujou; mas, olhe só para você. O mal que desejamos ou fazemos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos pensamentos, a borra, os resíduos, a fuligem ficam sempre em nós mesmos.

Cuidado com seus pensamentos, eles se transformam em palavras;
Cuidado com suas palavras, elas se transformam em ações;
Cuidado com suas ações, elas se transformam em hábitos;
Cuidado com seus hábitos, eles moldam o seu caráter;
Cuidado com seu caráter, ele controla o seu destino."