domingo, 1 de fevereiro de 2009

Cuidado com o Pensamento Positivo!


Em livros de auto-ajuda é muito comum a pregação do pensamento positivo como forma de resolver as dificuldades pessoais; todavia, cientificamente, precisamos deixar claro que o chamado pensamento positivo pode falhar.

Nós usamos dois recursos para pensar: com palavras ou com imagens mentais. Einstein, por exemplo, declarou que pensava com imagens que ele produzia e reproduzia voluntariamente. O pensamento com palavras pode não corresponder às imagens mentais que estamos produzindo no momento do pensamento. Nós sabemos que são as imagens, e não as palavras, que mexem com nosso sistema glandular. Por exemplo, se falarmos em passar as unhas sobre uma lixa, se produzirmos a imagem mental desse ato, experimentaremos uma sensação de aversão, podendo até sentir arrepios. Outro exemplo: se imaginarmos estar chupando um limão, nossa boca ficará cheia de saliva, mas, se falarmos no limão sem criarmos a imagem mental correspondente, não acontecerá nada. Veja bem, a força da imagem mexeu com o sistema glandular a ponto de as glândulas salivares produzirem mais saliva.

Quisemos demonstrar acima que são as imagens mentais que têm força e não as palavras que não estejam acompanhadas das imagens daquilo que elas representam.

Nós, seres humanos, toda vez que falamos em alguma coisa, temos a tendência de imaginar, de criar automaticamente as imagens contrárias dessa coisa; assim, nós podemos pensar positivamente e, ao mesmo tempo, criar imagens mentais contrárias do que pensamos com palavras. Podemos dizer que as palavras são do hemisfério esquerdo do cérebro e as imagens são do Sistema de Auto preservação e Preservação da Espécie (SAPE) / hemisfério direito. Toda vez que houver conflito entre as imagens mentais e as palavras, as imagens ganham. Ora, uma pessoa pode pensar positivamente e, até sem sentir, criar imagens contrárias do que pensou; por isso, é preciso cuidado com o pensamento positivo. As pessoas que dizem ter pensado sempre positivamente e tudo ter dado errado para elas é porque pensaram positivamente com palavras e criaram as imagens mentais contrárias do que pensaram e são as imagens mentais, com forte carga de emoções, que conseguem os resultados. Você consegue aquilo de que cria as imagens mentais com emoção!

Professor Luiz Machado, Ph.D.
Cientista Fundador e Mentor da Emotologia

Fiquem bem

2 comentários:

A Senhora disse...

Eu sempre disse que não adianta pensar positivo e ficar achando que as coisas vão cair do céu - tem qeu ir atrás para se conseguir. Do contrário, pode até cair do céu, mas da altura que cai, ou vai cair quebrado ou velho.

Interlaced disse...

Só tem um pequeno detalhe, que talvez venha ao caso: Einstein, como muitos outros gênios, era disléxico. Ele tinha uma capacidade um pouco maior para pensar com imagens, mas se não me engano, a maior parte dos seres humanos pensa com palavras, ou pelo menos tem algum diálogo interno, por menor que seja. Talvez essa inexistência de palavras (só hábitos) que tenha liberado a mente dele para isso. No caso do texto... o pensamento positivo é que talvez possa depender de pessoa para pessoa, de acordo com a forma que este ser utiliza seu cérebro. Tem casos que funcionam, e casos que não - e na minha singela opinião de leiga pode ter algo a ver com isso.