quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A minha filhota também escreve!


Algo que a minha filhota escreveu no sue hi5 (que ela nem sabe que sigo)

Com 15 anitos ainda não me pode processar por “plagio” (hehehe), alem disso ela nem sabe que este blog existe (chuuuiiiiiiiiiiii)

Fiquem bem

(SIC) lembro-me como se fosse hoje, era um dia cinzento , nublado , fazia algum frio e tinha chovido , por isso a estrada estava molhada e escorregadia. Era um dia de Inverno.
sei que a minha mãe me ligou e perguntou-me se podia ir para casa , a voz dela pareceu-me triste , mas na altura não liguei muito, respondi que sim e também referi que não tinha mais aulas. também perguntou-me pela minha prima e por mero acaso ela também não teve aulas , pediu-me então para ir buscá-la e irmos para casa.
Tenho a imagem de a rua nua e as arvores despidas , ninguém estava na rua, achei um pouco estranho porque aquela rua costuma ser movimentada, mas pensei que fosse devido ao tempo , os carros estavam estacionados nos dois lados da estrada , não me lembro das horas.
Pelo caminha falamos sobre o avô e o facto de ele estar no hospital , ter uma certa idade e a possibilidade de estar quase a morrer. pareciamos mulheres a falar da morte , estavamos serias e a ideia não nos assustava , parecia normal , algo que conseguiriamos lidar.
Cheguei a casa com um tipico sorriso , mas vi a sala escura , a luz estava apagada , tornado a escura e fria sala ainda mais escura . toda a gente estava com roupa preta , cabeça baixa , lenço de papel na mao , estavam tristes , mas não entendi , fiquei assustada, foi então que a minha mãe nos disse o que se tinha passado , senti o meu sorriso a desaparecer e lagrimas a cair pela minha face , como por artes mágicas , vi a minha avo a sair do quarto e sei que me abraçaram com força , chorei muito , muito , como nunca tinha chorado antes. Foi ai que entendi o verdadeiro significado da morte , não era nada do que eu pensava que era , nada do que eu sempre falara . era pior , muito pior , a ideia de que quem gostamos , já não está presente , aliás nunca mais estará , é mais assustadora quando o sentimos , porque a falar parece uma coisa triste , mas banal.
tenho as palavras presas na minha cabeça : 'O avô morreu' .
Aquele homem de olhos azuis claros , cabelo grisalho , cerolas brancas, com uma supresa todos os dias para mim , um rebuçado , uma boneca .. nunca mais o vou ver , tenho saudades dele , saudades dos beijinhos , saudades de quando ralhava conosco , saudades daquela voz autoritária , tenho saudades do meu avô , sim do meu avô. o meu avô que sempre esteve presente na minha vida , acho que de quem gostamos nunca deveria desaparecer , não gosto da sensação de perder alguém , não quero voltar a senti-la , odeio-a. quero o meu avô de volta , mas isso não é possivel porque ?
deveria ser .
tenho um buraco no meu coração , nunca o vou conseguir preencher , porque só tu estavas nesse lugar , nesse trono que é teu.

tenho saudades tuas , amo-te AVÔ ! JURO QUE TE AMO @ és eterno (LL)

25/OUT/04 :'(

4 comentários:

A Senhora disse...

A morte é para quem fica, não para quem vai. O vazio que deixa é irreparável - e aí mora um pedaço da eternidade.

Jorge Balasterio disse...

Peço desculpa pela intromissão, mas não podia deixar de comentar, o sentimento de perda é cruel, é nessas alturas que nos apercebemos o quão importante era aquela pessoa na nossa vida.

Anónimo disse...

deixo aqui o meu comentario tambem, a vida ia bem a escola, era um catolico praticante, todos fins de semana missa, grupo de jovens, ajudava estava sempre presente, ate que um dia meu pai desmaiou em plena praia da vitoria, foi para o hospital, e ficou la uns dias para exames, um dia minha mae chegou da visita do hospital, senta-se a beira da minha cama e diz-me teu pai tem cancro pulmonar, esta em fase terminal, nesta altura fui forte abracei minha mae e disse-lhe vamos ser fortes, depois foi rapido umas semanas, minha mae pediu ajuda, para virar meu pai, e ele estava com uma fraca respiracao, e depois puffff, silencio meu pai tinha ido, eu que tinha apenas 16 anos fiquei tao ofendido com deus.... fui para o meu quarto e queria era chorar chorei, porquê a mim depois de tudo que fiz pela igreja, quando na igreja falamos em jesus dar a vida por nos a felicidade e tira me o meu pai, ainda hoje com 22 anos sinto, isso lembro me das coisas boas de o ver sorrir, algumas bebedeiras fantasticas, nao damos valor as coisas e as damos como garantidas, mas é a natureza humana estamos namorados nao precisamos dar valor porque é nossa, mas na vida nada é garantido, hoje sinto a falta de um sabio meu pai k me disse que so temos uma oportunidade na vida , a minha é esta porque o final sei que é a morte, ela esta a minha espera nao sei quando mas é para o vazio que estamos destinados, desculpa a confusao do texto mas tenho mts palavras mts ideias

abraco pedro rodrigues

Carteiro disse...

Olá Pedro

Primeiro, não concordo quando dizes “depois de tudo o que fiz pela igreja”, quando se dá algo, tá dado, quando se dá algo e se espera retribuição é então apenas um aluguer ou investimento.
Sobre as oportunidades, todos temos novas todos os dias, agora também, nada é gratuito e nós, demasiadas vezes não estamos dispostos a pagar o preço!

Fica bem